Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz Ano Novo !


Aos amigos e acompanhantes deste nosso blogue: 

Desejo que o ano de 2013 seja bem preenchido de alegrias e muitas conquistas e continuemos a partilhar esta paixão que é o F. C. Porto. 
Aproveito para manifestar apreço pela companhia e participação neste espaço, na certeza que é de todos nós. 
Formulo votos que continuemos juntos, a compartilhar tudo o que respeite à vida do F. C. Porto, valorizando a História Portista, irmanados nas alegrias que advenham, orgulhosos dos troféus que possam ser conquistados, em suma vibrando e sentindo como bem sabemos na continuidade das glórias do nosso grandioso F.C. Porto. 

Bom Ano Novo Azul e Branco! 

Armando Pinto

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Prenda de Natal: Um Livro particular...


Livro “Destino de Menino" 

Neste Natal de 2012 a “Prenda” mais terna oferecida pelo autor destas linhas foi um livro. Um livro específico, com uma dedicatória especial. 

Porque este livro, de 24 páginas (incluindo sequência de fotos constantes na paginação), teve simplesmente uma edição reduzida, sendo de distribuição restrita como “Presente de Natal” oferecido ao meu neto e a familiares próximos, partilhamos do mesmo a mensagem respetiva, através do próprio texto. (e só o texto, naturalmente, por motivos óbvios - sendo edição particular como é) 

em... nosso outro blogue "Longra Histórico-Literária") 

(clicando sobre o link)



ARMANDO PINTO


segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal - Votos de Boas Festas Portistas!


Caros Amigos, Companheiros da Blogosfera Portista, Consócios, Correlegionários Portistas e Leitores: 

Irmanado no espírito clubista, associo-me à mensagem geral partilhada entre Portistas, aqui também neste espaço de Memória Portista, através de ilustrativa imagem oficial do F. C. Porto. Com a qual reforçamos votos extensivos. 

Todos sabemos que nós portistas temos boas festas várias vezes por ano, mas queremos continuar felizes. Assim, nesta quadra especial, não podemos deixar de desejar a todos nós as maiores felicidades, junto daqueles que nos são mais queridos. 

Então, ilustrando também com uma imagem do presépio doméstico do autor, formulamos sinceros votos de Boas Festas a todos os que comungam da mesma afeição, desejando um Bom Natal e feliz Ano Azul e Branco!


Armando Pinto


domingo, 23 de dezembro de 2012

Encontro com Amigos do Hóquei do F. C. Porto


Na proximidade do Natal, qual reencontro que sempre paira nos corações abertos ao espírito natalício, estivemos no nosso pavilhão Dragão Caixa a assistir à vitória do F. C. Porto em hóquei em patins (por 9-2!) diante do Turquel, este sábado passado. Um encontro que teve a particularidade de havermos então estado na companhia de dois amigos e por sinal dois grandes valores da história do Hóquei do F. C. Porto, o famoso Cristiano, nosso ídolo do Hóquei Portista de outrora e seu contemporâneo colega hoquista Fernando Barbot - cujos nomes e carreiras estão devidamente referenciados em diversos artigos deste (Memória Portista) e do nosso anterior blogue ("Lôngara"), dentro da temática memorial do nosso hóquei patinado. Facto e ocasião, que tivemos agora, dignos de registo pessoal, dentro do espírito Portista.


Armando Pinto

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Revista "Dragões" – Nºs de Outubro e Novembro / 2012


Está nos escaparates usuais, na atualidade, o mais recente número da revista Dragões, correspondente ao mês de Novembro. Sobre o qual, na sequência das anotações que aqui temos registado, fazemos referência expressa do facto, por quanto merece atenção tudo o que nos aproxime mais com o dia a dia do mundo azul e branco.

Assim sendo, dessa e da anterior edição, reportando retrospetivamente também ao nº de Outubro, damos agora nota das respetivas publicações, com os sumários relativos aos dois mais recentes exemplares da revista oficial do F. C. Porto.



Armando Pinto 

»»» CLICAR sobre as digitalizações, para AMPLIAR «««


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Passado, Presente e Futuro do F C Porto numa publicação antiga…


Estando estas rememorações numa sequência histórico-literária de preservação afetiva, em tempo natalício como o que passa, quando calham bem certas ofertas como as de livros, partilhamos então, por este meio, mais uma recordação apropriada. Trazendo até aqui uns trechos de leituras à vista dos confrades destas loas, no comum apego pela memória Portista.


Assim, desta feita recordamos um pequena publicação com a chancela do clube, numa edição publicada em 1980, feita ao tempo a registar o texto duma palestra oficial da cerimónia das rosetas de reconhecimento aos sócios, ocorrida nesse ano e proferida pelo associado Custódio Moreira de Castro – um antigo dirigente historiador, que tinha um grande e valioso espólio sobre a Vida do F. C. Porto. Trazendo nós até aqui, a este espaço público, umas simples amostras dessa curiosa publicação, colocando no entanto apenas algumas das cerca de 18 páginas em que se alongava o texto da dita comunicação. Não indo além disto, porém (evitando danificação da encadernação com a digitalização), para não estragarmos essa brochura que gostosamente possuímos. Mas, isto assim, já dá para ficar uma ideia de tal interessante narrativa impressa à posteridade.






Armando Pinto 

»»» Clicar sobre as digitalizações, para ampliar «««


sábado, 15 de dezembro de 2012

A “minha Bíblia do FC Porto” já cá está…!


Num fim-de-semana como este de semblante agreste, com chuva persistente e ventosa, que até já levou a que não se tivesse realizado o jogo do F. C. Porto em Setúbal, não fica adiado porém um recolhimento pessoal bem acompanhado, como sabe melhor, tendo em mãos o novo livro dedicado ao F. C. Porto. Pois, na verdade, já temos a “Bíblia do FC Porto”, a descrever tudo sobre o nosso F.C. Porto. 

Assim, com um tempo tempestuoso como este que paira lá fora de casa, no exterior, ou na rua, como se queira dizer, não nos ocorre melhor para estar do que em casa - tal como antigamente juntinho ao lume, com a família, à volta da lareira, em amenas cavaqueiras ao borralho; e agora em ambiente aquecido, nem que seja envolto no que seja mais cómodo ou até descontraidamente sob efeitos de ar condicionado… E, no caso, melhor ainda, munido de um bom livro, com o íntimo bem aquecido como é e será sempre na companhia duma boa obra literária a historiar o F. C. Porto. Como acontece a poder ler esta nova versão, em 3ª edição, revista e aumentada, da chamada Bíblia do FC Porto. Que recebemos entretanto e começamos já a apreciar, começando na mais-valia do nosso (meu) exemplar estar devidamente enriquecido com uma dedicatória autógrafa do autor. E agora, bem aconchegado, assim, vamos ler e desfrutar de fio a pavio.


Pois é…. A nossa já cá canta. E vocês, amigos e correligionários Portistas, já têm também a vossa?

Armando Pinto

»»» Clicar sobre as imagens, para ampliar «««

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

A nossa 1ª vez… da Taça Intercontinental!


Faz agora anos, muitos… Bem sabemos quantos, mas não importa quanto já passou, pois parece ser ainda de fresco, estar sempre e bem presente… Ah, aquela conquista da Taça Intercontinental, do Mundial de Clubes disputado então numa final, a dois e num só jogo, lá nos confins nipónicos… com um fuso horário que pôs muitos portugueses e não só despertos pela noite fora... Aquela nossa primeira Taça do Mundo de futebol alcançada pelo F. C. Porto…! Numa leda manhã, de noite ainda feita manhazinha, qual madrugada que, tal como há dias inesquecíveis, será sempre uma madrugada para sempre lembrada. Então o meu filho estava com coisa de nove anos, e (alta noite, ao chegarem as três horas da madrugada) quando dei conta, sem eu contar, àquela hora, ele estava acordado e a pé para ver o jogo comigo, diante do televisor às tantas daquela madrugada… Nem pregara olho, com sentido em ver o jogo… Há que tempos foi já, bastando reparar que ele e a irmã (pois então a minha filha estava com cerca de cinco anitos) hoje estão ambos na casa dos trinta e pico… 

Ora, aquela equipa, a formação que entrou em campo, com o tradicional equipamento lindo da camisola de duas listas azuis - e que bem ficava ao Fernando Gomes, ao Madjer, a todos - é uma equipa histórica! 


Faz agora anos, efetivamente, essa primeira Taça Intercontinental. Depois, passados anos, veio outra. E não haverá duas sem três, já diz o velho rifão. Mas agora, neste dia em que passa tal aniversário, importa recordar essa Taça Intercontinental conquistada em Dezembro de 1987, sobre um manto de neve que cobria Tóquio, num ambiente branco, mais parecendo sob efeito dum luar feliz, como aquele então próximo luar de Janeiro que não tem igual, quanto amor como o primeiro…! 

Desse acontecimento inolvidável ficaram recordações espirituais, intimamente sentidas, e muitas também físicas. Como não poderia ser assim, diante do que foi aquilo…?!!!







É… Faz, neste dia 13 de Dezembro, 25 anos que vencemos a nossa 1ª Taça Intercontinental! 

Armando Pinto 

»»» Clicar sobre as imagens, para ampliar «««


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Livros biográficos de atletas do F. C. Porto


A vida aqui do autor deste blogue sempre esteve algo misturada com livros, pelo gosto bibliográfico sobre temas de merecimento atencioso, quanto ao que desperta paixões no autor destas linhas. Pois, os livros que nos cativam mais sempre foram os que historiam as nossas afeições, desde a região natal e sua simbologia e identidade, até ao clube desportivo que nos entusiasma, obviamente o F. C. do Porto. Coisa que temos conseguido em doses possíveis, por aquisições em tempo real, sensivelmente (sem grandes possibilidades de recursos a posteriores angariações em alfarrabistas e outras), mas sempre de olhos postos em mais, de quanto possa ainda surgir. 

Ora esta época, apesar da crise (que desportivamente nos passa ao largo, felizmente, no Mundo Portista) é tempo de nos contagiarmos pelo espírito de Natal. Mandando às malvas falsas profecias, ao tipo do famoso calendário Maia... apontamos assim mais ao sol que nos aquece, tal qual para nós representa o F. C. Porto, em tudo o que melhor resulta em predisposição nas nossas vidas. Estando nisso o gosto pessoal de ter livros de material Portista. E extensivamente, havendo já nos escaparates a Bíblia do FC Porto atualizada (a que nos referimos no artigo anterior), destaque merecem todos os livros, em conjunto, no conceito da Bíblia ser livro dos livros.


Então, porque numa troca do que se partilha num grupo do facebook a que gostosamente pertencemos ("Memória F C Porto"), ainda há pouco, apareceu um curioso post sobre livros de biografias desportivas de atletas do F. C. Porto, resolvemos aqui expor, neste bloguezito, uma amostra relacionada. Não na totalidade dos livros de temática portista que possuímos, mas apenas numa parte, desta feita incidindo em biografias de atletas, na maioria futebolistas e um hoquista, no caso. 

Assim, como já em tempos colocamos no outro nosso blogue anterior (Lôngara) umas fotos de cada um dos livros biográficos que temos; será agora vez, desta forma, de darmos outra visão, juntando a granel imagens das respetivas capas, em três fotos para tornar mais visíveis os conjuntos mais antigos e recentes de diversas coleções contendo biografias desportivas de atletas do F. C. Porto. 

Aí fica então, assim, qualquer coisa disto – através de exemplares que conseguimos ter da antiga coleção “Ídolos do Desporto”, mostrados em cima; bem como, ao meio deste post, ficam aqui patentes alguns outros livrinhos mais recentes, e por fim, em baixo, também alguns volumes individualizados, dos que existiram entre outras publicações do género.



Armando Pinto 

»»» Clicar sobre as imagens, para ampliar «««


sábado, 8 de dezembro de 2012

Bíblia do F C Porto – Nova edição revista e aumentada


Ora aí temos uma boa Prenda de Natal para os Portistas! Com o Natal à vista, chegando mais até nós a época natalícia, cada vez mais a aproximar-se esse tempo de encanto, é oportuno o aparecimento de um livro novo que poderá fazer delícias no sapatinho Portista, como apreciado presente a oferecer e receber entre Portistas – a Bíblia do F C Porto, agora devidamente estruturada, numa edição deveras conseguida, finalmente. 

Com efeito, com tal novidade, damos então conta da re-edição do livro "Bíblia do F C Porto" da autoria de João Pedro Bandeira e prefácio de Júlio Magalhães. Obra, recorde-se, que, aquando da 1ª edição de 2010, mereceu críticas nossas (no anterior blogue “Lôngara…”), em parte merecidas e justificadas. A pontos de, em vista disso, ter merecido então a justa reposição ora presente.

Apraz referir ainda que a presente reedição é na verdade correspondente a uma 3ª edição, porque a anterior teve em 2010 e 2011 duas edições, ambas com livros de capa preta, enquanto esta nova edição tem capa azul.

«Esta edição teve mais tempo para ser "trabalhada", o próprio F.C. Porto teve papel mais ativo na revisão e deteção de eventuais erros e gralhas. Tem uma nova capa, novos grafismos, novos conteúdos e foi atualizada com as duas últimas épocas 2010/11 e 2011/12.»


Ultrapassados os motivos que ditaram os anteriores reparos, agrada-nos a atenção tida em apreço, quanto a importância que a grandeza do F C Porto merece. 

Nesta época em que a nossa equipa principal de futebol caminha na liderança do Campeonato da Liga Portuguesa, assim como continua de vento em popa na maior prova europeia, tal qual as secções de andebol e hóquei em patins se apresentam em lugares de destaque das respetivas provas em que estão envolvidas tais modalidades amadoras, bem como no bilhar e na natação tem havido tacadas e braçadas apuradas e até o boxe vai tendo punhos certeiros… Eis pois - com este novo livro, através da renovada edição da Bíblia do F C Porto - uma boa “Prenda de Natal” para todos nós Portistas, sócios e adeptos que valorizamos o historial do nosso grandioso F C Porto. 

Armando Pinto

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Honra e Glória Internacional do F. C. Porto


Está o F. C. Porto apurado para a fase seguinte da Liga dos Campeões europeus de futebol. Com mais esta passagem além da fase de grupos e integrado que fica entre os melhores clubes, com lugar nos oitavos de final da mais prestigiada prova desportiva da Europa, mantém o grande grémio desportivo azul e branco o rumo de honra e glória, sendo atualmente o clube português com maior e melhor palmarés nas competições internacionais. 

Com essa honra bem presente, recordamos tais glórias entretanto alcançadas. Deitando, por isso, olhos a algumas imagens inesquecíveis, que fazem parte das excelsas Memórias Portistas.






O que nunca é demais lembrar e valorizar, sempre! 

Armando Pinto 

===» Clicar sobre as digitalizações, para ampliar «===


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Mangala – Valor da nova vaga do F. C. do Porto


Ao raiar ainda dos dias que correm, a memória do mundo Portista vai também sendo fixada a cada momento que passa, a partir do presente. Indo assim sendo escrita a História do F. C. Porto, a cada passo da caminhada que todos acompanhamos com redobrada atenção. Como tal fazemos memória, aqui entretanto, também de atletas que se vão impondo na admiração do universo Portista, perante a sua contribuição já conseguida ao serviço da causa azul e branca. Como é o caso de Mangala, o jovem que se vem impondo no seio da equipa principal do F. C. Porto, nas oportunidades e necessidades verificadas nas ocasiões em que tem sido escalado a jogar. Um dos valores da nova vaga do futebol do F. C. Porto, um promissor futebolista entre grandes nomes do plantel valioso do clube-Dragão.


Armando Pinto 

=== Clicar sobre as imagens, para ampliar ===


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Recordações Pessoais Portistas


Alguns bens de estimação, entre recordações pessoais e adereços de ligação afetiva, como adepto Portista. Com especial incidência em lembranças relacionadas com modalidades amadoras, especialmente o Hóquei em Patins e Atletismo do F. C. Porto, tal como um objeto da inauguração do Dragão Caixa, por exemplo. Cujas imagens dispensam muito fraseado, além de que são algo que temos gosto em possuir, mas gostávamos de ter muito mais...






Armando Pinto 


»»» Clicar sobre as imagens, para ampliar «««


sábado, 24 de novembro de 2012

Jogos Braga – F. C. Porto de Memórias mil…


Num fim de semana à imagem do tempo transitivo de outono/inverno, domina as atenções o embate que o F. C. Porto disputa em Braga, no ainda novo estádio bracarense popularmente tido por pedreira. Num semblante que nos faz recordar tempos de criança, há muitíssimos anos, quando ainda pouco entendíamos mas já sabíamos gostar do Porto. 

Corriam tempos da infância do autor, numa tarde domingueira de aspeto cinzento. Então, segundo recordo, apenas já me sentia de alguma forma Portista, mas não sabia ainda os nomes da maioria dos jogadores, aliás nem quais eram eles na totalidade, os que envergavam a camisola azul e branca. Tinha na cabeça os que via nos “macacos” da bola, como por aqui pela Longra chamavam aos populares cromos de coleção, figuras em pequenos papeis que vinham a embrulhar rebuçados baratos, dos que meus irmãos mais velhos e seus amigos juntavam e colecionavam em cadernetas. Tendo, daí, ficado na cabeça um jogo que se disputava em Braga, nessa tarde escura, porque, estando eu a brincar nas proximidades de casa com alguns amigos vizinhos e havendo alguém ali por perto a ouvir o relato do futebol, se ia sabendo que o Porto estava sem conseguir ultrapassar um teimoso empate. Então, contra o costume, em que eu normalmente brincava descontraído, dessa vez não me senti muito bem e dei comigo meio tristonho e sem vontade de continuar a brincar. 


Nas conversas dos mais velhos, por esses tempos, ainda andavam no ar resquícios do campeonato que o F. C. Porto ganhara antes, em 1958/59, coisa de que eu não tinha nem fazia ideia, mas me parecia ter sido há uma infinidade de tempo, na pouca idade entretanto vivida. Ouvindo por isso nomes duns Hernâni, Pedroto, Monteiro da Costa, Teixeira, Arcanjo, etc. mas nem sabia se eram altos ou baixos, brancos ou morenos, até porque nos que apareciam nos jornais, por vezes, via tudo a preto e branco. Por isso, naquela tarde enfadonha, já pelo ano de 1960, fiquei a saber que no Porto havia um tal Humaitá e outros que tais, que não deviam ter pés muito direitos - às bolas que não acertavam na baliza dos outros… 

E foram surgindo e desaparecendo jogadores, muitos deles de fugaz passagem pelo clube, a modos de nem terem chegado a aquecer o lugar na história. Resultando disso que, passados anos, logo que começamos a ter noção de tudo, já não conseguimos ficar com imagens de muitos deles, resultando que só anos mais tarde se nos foram deparando, no interesse memorial clubista. Tal o caso de uma equipa desse tempo que aqui juntamos (graças a cedência do amigo Abílio Faria, o cantor Monte Cristo), a servir de ilustração.

= …Uma formação de 1959/1960, incluindo (desde a esquerda, a partir de cima): Pedroto, Américo, Janko Daucík, Miguel Arcanjo, Paula e Monteiro da Costa; na fila de baixo: Rico, Montaño, António Teixeira, Fernando Perdigão e Humaitá. =

Mas, apesar disso, não fiquei a ver Braga por um canudo. Não simpatizava muito com aquela terra, é verdade, por ter sabido (numa excursão da “doutrina”, em que o Padre João de Rande nos levara, aos moços da catequese, até ao Sameiro e Bom Jesus) que, embora sendo das redondezas, aqui do Norte, por lá havia muitos simpatizantes daquela equipa “armante” (como dizíamos, de ser de gajos que se armavam em finos…), do Benfica de Lisboa; talvez pela parecença das camisolas vermelhas, mas também por certo gosto parolo, como se dizia também.

E no campeonato da época seguinte, como me recordo bem e soube melhor, estava à mesma a jogar uma partida de bola com outros amigos (daqueles jogos de mudar aos três e acabar aos seis, que podiam durar até às tantas), quando por um rádio se ia ouvindo a algazarra dum relato radiofónico, doutro jogo que o Porto disputava em Braga. Mas aí, então, tudo correu bem, e, sabendo que os golos foram aparecendo, houve boa disposição. - Pudera… O Porto foi lá e espetou quatro secos, para eles verem como era…!

= Equipa do tempo de Ívan, já por 1961 dentro. Contendo (a partir da esquerda, e desde cima) Américo, Arcanjo, Paula, Ívan, Barbosa e Virgílio; (em baixo) Jaime, Pinto, Azumir, Hernâni e Serafim.= 

Nesse jogo ouvi o nome de um outro apelido engraçado, um tal Ívan, não o terrível mas o do Porto, simplesmente, que passara a jogar com o Hernâni, Virgílio, o Carlos Duarte, Perdigão, e demais. Nome que, volvidos tempos, já em 1961, foi um dos que me deu uma grande alegria, entre outras, quando integrou a equipa que venceu em Alvalade o Sporting, com um golo de Azumir - por ter tirado o pio aos lagartos que andavam pela nossa escola…

Dessa equipa guardamos uma foto, tirada duma carteira de bolso (como ao tempo havia, daquelas carteiras de plástico com capa de bolsa transparente, onde estava uma gravura da equipa, dum monumento ou duma terra, assim como também duma “gaja”, conforme se quisesse). Cuja gravura mantivemos pelos anos fora e presentemente temos emoldurada, junto com outras relíquias.


Depois disso, naturalmente, sucederam-se outros bons desempenhos e muitos grandes jogos nas idas do F. C. Porto até à cidade dos arcebispos, ao chamado estádio 28 de Maio (e por fim rebatizado por 1º de Maio). Num curso que teve grandes tardes nos embates de avançados como Pinto, Naftal, Manuel António, Nóbrega e outros, diante do guarda-redes Armando que ficou célebre na guarda das balizas arsenalistas, onde ajudou mesmo a conquistar (numa final com o Setúbal) a única taça a nível nacional que o clube minhoto possui.


Não esquece, nem pode olvidar-se, ainda, que foi em Braga que o F. C. Porto teve um embate que decisivamente deu mais confiança para o título nacional alcançado, ao fim de 19 anos de espera, em 1977/78, com uma inesquecível reviravolta, quando já escasseavam as esperanças e parecia ir manter-se a sina… através de golos de Oliveira e Gomes, com que foi suplantada a vantagem inicial dos vermelhos bracarenses. Estava-se no virar da 1ª para a 2ª volta desse campeonato...


E que jogo… ?!! Lá vibramos, durante tal jornada, nas bancadas de pedra do estádio helénico do Minho, com esse triunfo empolgante, surgido quase no fim.

A partir dali tudo já era possível, afinal… como foi. E a realidade suplantou até os sonhos de menino. Desde então, com efeito, o Porto passou a ganhar muito mais e melhor!


»»»»»» Clicar sobre as digitalizações, para ampliar «««««« 

Nota: Recorde-se, na oportunidade, outros anteriores posts, publicados no antigo nosso blogue “Lôngara…”. Através de artigos referentes ao tema dos jogos entre as equipas principais de futebol do F. C. Porto e Sp. Braga (clicando sobre os links) 

-  A propósito do atual jogo

- Memórias finalistas

-  Porto d’ Honra Europeu !


 Armando Pinto