Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

James desembrulhou a Prenda: F. C. Porto no 1º lugar do Grupo A da Liga dos Campeões - em dia de aniversário de Jackson…!


F. C. Porto, 1- PSG, 0: Vitória do rigor e honra contra o capitalismo e luxúria. 

Com um grande golo, em momento decisivo, James Rodriguez deu cor e alegria ao mundo Portista. Um golo que, afinal e no fim de contas, fez justiça ao resultado e proporcionou que o colega de equipa aniversariante, Jackson Martínez, saboreasse também esta vitória.


Quando no jogo da terça-feira, no tal do baile acontecido no nosso salão de festas, a comunicação social tanto ênfase deu a pormenores do género, que acabaram por ser contraproducentes para a equipa que saiu derrotada (por aí então estar fora do seu regime…), foi porém no estádio do Dragão, esta noite de quarta-feira, que aconteceu o festejo, e para a banda das nossas cores azuis e brancas. Com James a desembrulhar a prenda – daí que a sua imagem, a encimar o artigo, ainda tenha o vinco… (do papel ilustrado com que enfaixou a jogada, culminando no remate que a imagem anexa documenta).


Parabéns aos vencedores e aos intervenientes. Belo aniversário de Jackson, que mereceu uma linda confraternização. 

Grande noite europeia, ainda bem!!! 

Armando Pinto

7 comentários:

  1. Boas Armando,

    Antes de mais uma palavra aos desacreditados e detratores ... á cabeça esse grande portista de seu nome MST ... por muito que digam mal de VP, da direção, dos jogadores ... hoje gostava de ler o que tem dizer.

    O FCP fez um jogo imaculado, ao nivel das melhores exibições europeias como em 87, 2003 e 2004 e a época de libras boas ... era injusto a derrota ou o empate apesar de quando terminou a primeira parte pensar em outras vitorias morais que não foram concretizadas.

    Posto isto estivemos perfeitos, não embandeirando em arco, mas quer defensivamente quer ofensivamente estivemos perfeitos e o resultado peca por escasso.

    Não sou otimista por natureza no entanto tinha um "feeling" que nestes jogos grandes iriamos demonstrar o que somos e o que valemos e não me enganei ... foi uma vitoria sem espinhas e inteiramente justa.

    Agora a que aproveitar esta embalagem e limpar os nossos adversários quer nossa liga quer na champions.

    um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. FC Porto 1 – PSG 0
    Cheguei cansado a Vila Real, mas valeu a pena. Deu sorte ir ao Dragão!
    O meu FC Porto fez um belíssimo jogo e ganhou! Vim feliz na companhia da maior portista do mundo (sem desprimor para todas as outras Mulheres portistas) – a minha Filha- e de um entusiástico Dragão da “Bila” – o Pedro Cardona.
    Vim feliz por ter estado com muitos amigos e em especial com a malta do “Bibó Porto, carago”. Vim muito feliz porque assisti a mais uma grande vitória do meu Clube no mais bonito estádio do Mundo.
    Estou feliz por poder dar os parabéns ao treinador do FC Porto, Vítor Pereira, e aos jogadores que lutaram até à exaustão na procura da vitória. PARABÉNS! PARABÉNS A TODOS!
    BibÓ POOOOORTO!

    ResponderEliminar
  3. Um Porto com a lição bem estudada, tacticamente irrepreensível, sabendo o que era preciso fazer e como fazer, venceu, justamente, embora por um resultado que não premeia a sua exibição, uma grande equipa, recheada de grandes jogadores. Atitude, carácter, personalidade e qualidade, mostraram a capacidade desta equipa quando tem a atitude correcta. Foi uma exibição quase perfeita e só não atingiu a perfeição, porque fomos perdulários, porque tivemos uma ou outra falha individual, felizmente, sem consequências, caso contrário não havia nada a apontar ao bi-campeão português no jogo desta noite.

    Entrando bem, sem temores e olhando nos olhos o milionário clube francês, seguro atrás - descontando aquela "brincadeira" de Helton...-, bem organizado no meio-campo - Fernando deu solidez e permitiu que os laterais subissem sempre, mais e melhor, Alex Sandro que Danilo - rápido e criativo no ataque, onde Silvestre Varela esteve a um nível que fez recordar os primeiros tempos de dragão ao peito, o F.C.Porto dominou, foi bem melhor, podia e merecia, chegar ao intervalo a vencer. Se a primeira-parte já tinha sido boa, segunda ainda entusiasmou mais. O domínio manteve-se, o ritmo aumentou, a qualidade e as oportunidades também e apenas a falta de eficácia impedia o conjunto de Vítor Pereira de chegar à vantagem que justificava, claramente. Pena, muita pena, que algumas jogadas, lindas!, duas, pelo menos, com diagonais brilhantes a deixar Varela primeiro e Atsu depois, na cara do guarda-redes, de um João Moutinho que foi monstruoso, não tenham acabado no fundo das redes do clube parisiense. Mas o futebol hoje foi justo com o F.C.Porto e tantas vezes o cântaro foi à fonte, que James, depois de já antes ter ameaçado, marcou um grande golo e deu os 3 pontos e mais um milhão, à melhor, de longe, equipa em campo.

    Notas finais:
    Quando uma equipa sob ponte de vista colectivo, faz uma exibição assim, nem apetece destacar ninguém... Mesmo que Alex Sandro - este menino é um cracão -, Fernando - ainda não está com a rotina do espaço que deve ocupar em certos lances, nomeadamente e tal como aconteceu em Vila do Conde, na zona frontal da área -, João Moutinho - que exibição! - e Varela - terá regressado, definitivamente, o Drogba da Caparica? -, estivessem um bocadinho acima dos outros, que jogaram todos a um nível elevado.

    A uma palavra para o Mister.
    Se frente a uma grande equipa como é o PSG, o F.C.Porto joga de uma maneira que em alguns períodos chegou a ser brilhante, exibição alicerçada num colectivo notável e numa organização quase perfeita, sem esquecer um grande trabalho de conhecimento sobre o forte adversário, o seu treinador merece os parabéns. Mais, devia merecer respeito, não ser o bombo da festa, quando as coisas correm menos bem.

    E a nota final, é para o público do Dragão que hoje foi o 12º jogador, todo o tempo. Assim, nesta comunhão equipa/adeptos, seremos muito, mas mesmo muito, fortes.
    No final do jogo de Vila do Conde foi criticada a postura das claques que deram um voto de confiança à equipa, aplaudindo-a, apesar da exibição e a atitude não terem sido as melhores. Hoje a equipa agradeceu com uma vitória e uma exibição para ninguém deitar defeito

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Bom dia

    O FC Porto encarou o jogo, como deveria encarar: Favorito!

    O adversário, novo rico da Europa do futebol, levou um banho de bola perante um dos melhores clubes europeus.

    Fomos agressivos, dominamos e controlamos perfeitamente o jogo, permitindo apenas por duas vezes que o PSG criasse real perigo.

    O nosso trio do miolo, ritmou o jogo, foi inteligente tácticamente, pressionando na saída de bola a equipa francesa.

    Foi neste sector da equipa que residiu o segredo para a vitória, com Moutinho sublime.

    VP esteve bem na substituição de Varela por Atsu, pois nos últimos 15 minutos, dava a ideia que a equipa já se havia conformado com o empate, e já começava a irritar o jogo da nossa equipa, pois nós somos melhores e sentíamos que se apertássemos venceríamos.
    O jovem africano foi o elemento que despertou o nosso jogo e nos empurrou para a frente, e eis que apareceu James no jogo, que até então estava encolhido, e até poderia ter sido alvo de substituição.

    Moutinho o melhor em campo, numa excelente iniciativa proporcionou a El Bandido uma finalização sublime de primeira, garantindo-nos assim a justa vitória e um passo importantíssimo rumo aos oitavos-de-final.

    O resultado foi escasso face ao nosso domínio e oportunidades criadas.

    Agora há que não embandeirar em arco, ser humildes, e encarar todos os jogos com a mesma atitude.
    Temos de melhorar muito na finalização. Jackson aparece muitas vezes perdido, parecendo que a bola foge dele.

    Abraço
    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Foi no fundo a vitória do colectivismo ainda que o resultado tenha sido colorido com uma autêntica obra de arte de James.

    Quando se joga com esta atitude, o mais provável é ganhar. Pena foi a ineficácia no remate, que a não acontecer, transformaria este magro resultado num outro mais amplo e mais justo.

    Apesar de tudo, ainda houve algumas falhas defensivas de «palmatória», felizmente sem consequências, mas que convém não repetir.

    Estão todos de parabéns e espero que daqui para a frente todos se empenhem da mesma forma, seja que adversário for.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. caríssimas(os),

    num dia a todos os níveis frustrante, só mesmo o nosso FC Porto nos conseguiu dar uma alegria e encher-nos de orgulho!

    que a exibição de ontem tenha continuidade já no próximo encontro, é o que mais desejo!


    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  7. Boas,
    É verdade que não se perspectivava um jogo fácil, mas como dentro do campo não jogam os milhões, o FC Porto mostrou que no futebol não são só os clubes ricos que jogam bem. E, mesmo sabendo que do outro lado estava uma equipa em que foi investido muitos milhões que estão à espera de serem justificados, o FC Porto não teve receio e entrou a jogar à porto, neutralizando os franceses. Gostei do jogo, o FC Porto, principalmente no primeiro tempo, praticou um futebol muito agradável, ficou, apenas, a faltar o golo que acabou por chegar quase no final do encontro. Diria que ficou a saber a pouco… Não queria individualizar, mas James, pelo golo que marcou, merece o meu destaque. Ainda que, mais uma vez, a exibição, para mim, tenha valido pelo colectivo. Os milhões não jogam futebol. Isto nós já sabíamos, mas ficou, mais uma vez, provado. E já cá cantam seis pontos e a liderança no grupo A. Ainda é cedo para fazer contas, mas são, sem dúvida, pontos importantíssimos.

    Cumprimentos

    Ana Andrade

    www.portistaacemporcento.blogspot.com
    www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

    ResponderEliminar