Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Camilo: Um valoroso defensor do F. C. Porto entre os Anos 30 e 40…

 

Inúmeros foram e são, felizmente, os desportistas que constam dos anais da história do F. C. Porto, por entre o amplo número de atletas da fina estirpe que define o que sempre será um “jogador à Porto”. No meio dos quais constam uns mais conhecidos e famosos e outros porventura menos recordados, contudo todos merecedores de fazerem parte do rol de nossos maiores.

Está nesse caso, por exemplo, um futebolista que teve algumas passagens pelo seio da equipa principal do F. C. do Porto, de seu nome Camilo, um defesa de rija têmpera. Ao qual desta vez dedicamos aqui espaço, como fazemos com Homens do F. C. Porto de vez em quando. 

Camilo, de nome completo Camilo Alves Barros (segundo dados constantes no livro “Almanaque Oficial do F C Porto/1893-2011”, onde não são referidos dados biográficos e é desconhecida sua data de nascimento) integrou em diferentes períodos o plantel do futebol portista, totalizando seis temporadas futebolísticas, primeiro nas épocas de 1930 a 1932, depois em 1934/35 e, por fim, entre 1943 a 1946. Em cujas presenças venceu pelo F. C. P. cinco Campeonatos do Porto. Num percurso em que, nos jogos das diversas competições regionais e nacionais, terá alinhado pela equipa principal do F. C. Porto em 46 jogos, nos quais foi colega de equipa de homens famosos como (enumerando alguns apenas) uns Araújo, Guilhar, Catolino, Alfredo, Barrigana, etc. etc. 

Assim, para darmos oportunidade a esta evocação, recordamos uma coluna que ao "nosso" Camilo foi dedicada na lisboeta revista Stadium, à página “na capital do norte”, na respetiva edição de 17 de Abril de 1946.

   
 © Armando Pinto 
»»»» Clicar sobre as digitalizações, para ampliar ««««

2 comentários:

  1. Não foi o mesmo Camilo a jogar no F.C.Porto por duas vez. Houve dois Camilo. Um era o Camilo Leal que jogou no clube durante 3 épocas: 30/31 ; 31/32 ; 34/35
    O outro, que é o que está referido neste artigo, é o Camilo Barros, que jogou no F.C.Porto nas épocas de 43/44 ; 44/45 ; 45/46. Este é mais um dos inúmeros erros das publicações. Neste caso um erro do Almanaque, onde aliás podemos encontrar centenas deles. Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que há Portistas como Paulo Bizarro para fazer estas diferenças e repor a verdade histórica, algo que devia existir em arquivo histórico do FC Porto... Assim como o clube devia entregar trabalhos desses de responsabilidade a pessoas competentes e conhecedores, como o Paulo e outros que conhecemos da blogosfera portista, em vez de dar a mão a artistas de fora que nada conhecem do clube, nem o senrttem, e fazem trabalho em cima dos joelhos, para não dizer outra coisa, como aconteceu nesse tal Almanaque... e não só.
    Armando Pinto

    ResponderEliminar