terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Antiguidades


Convém sempre não ficar a remoer dores e amassar feridas, antes devemos procurar alívio e refrigério, mas também não se podem esquecer as derrotas, para que não continuem erros provocadores de tais desaires, que urge superar. Sendo assim, como se costuma dizer, pode pois uma derrota ser mãe de futura vitória.

Ora, tentemos ultrapassar para já o mau momento do futebol do F C Porto, que parece contagiado com a crise político-social que anda neste país. Ainda que, para manter o rumo editorial deste espaço, como memória Portista, atualmente não seja muito preciso recuar no tempo, tal a proximidade que tem andado entre recordações e constatações, para não falar em mais ou menos recentes contratações e manutenções.

Contudo, para não remexer muito nos tempos atuais, na esperança que haja melhorias e fé num futuro melhor, trazemos para aqui, desta vez, a verificação do símbolo do Dragão ser também já antigo na comunicação literária portuense. Dando nota que ainda no século XIX, antes da fundação do F C Porto (que, como se sabe, aconteceu em 1893), já havia em 1887 um antigo jornal com esse nome escarrapachado no título. Como se vê pela imagem (em posição cimeira o cabeçalho e em baixo a página de frontispício da edição número 6, do mesmo ano), de tal órgão sediado no Porto, cujo “Director proprietario” dava pelo nome de Manoel Augusto Pereira de Sousa Campos, enquanto a ilustração estava por conta de E. Castro.



Armando Pinto

1 comentário:

  1. O Dragão que é também o símbolo da cidade do Porto e assim passou também a ser associado ao F.C. Porto depois do emblema do clube apresentar as armas da cidade.

    Abraço

    ResponderEliminar