Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

“Habemus” novo Bispo do Porto… Portista!


Já houve fumo branco de conhecimento do nome do novo Bispo do Porto, com a nomeação do prelado que fica a presidir à diocese portucalense, conforme foi do conhecimento público, finalmente, ontém, sexta-feira dia 21. Passando D. António Francisco dos Santos para a cadeira da Igreja Portucalense, à cátedra de famosos bispos como, entre tantos, de uns D. Américo Santos, D. António Barroso, D. Agostinho Sousa, D. António Ferreira Gomes, D. Armindo Coelho, até ao mais recente D. Manuel Clemente, que, por ter sido elevado a Primaz de Lisboa, teve agora substituição neste novo purpurado da Sé do Porto. E, tal como, entre outros, foi conhecida a afeição azul e branca de D. Armindo, também este, o de ora em diante Bispo Titular Portuense, é Portista!

De realce, na mensagem do nomeado Bispo, as diretrizes com D. António Francisco quer ser “apóstolo da bondade, da proximidade e da simplicidade”. “Servir a todos e chegar a todos, com simplicidade”, são as prioridades de D. António Francisco dos Santos, antes bispo de Aveiro e agora escolhido pelo Papa Francisco para liderar a diocese do Porto. Simpático alto membro da hierarquia eclesiástica que transmite em mensagem ao povo fiel da diocese do Porto:
«A alegria e generosidade com que vou ao encontro desta Igreja diz-me que é grande o testemunho cristão da Igreja do Porto e que é imensa a missão que se depara pela frente. Por isso, conto com todos aqueles que espelham no seu rosto o amor de Deus e aqueles a quem é necessário levar este testemunho. Queria ser apóstolo da bondade, da proximidade e da simplicidade, ao jeito terno e materno de Maria e fazer da Igreja este rosto de presença e este rosto do amor de Deus, que chegue a todos, que vá a todas periferias: as periferias do coração, da existência, das realidades temporais.» Acrescentando, quanto ao seu lema episcopal, que é “In manus tuas”:  «É um lema que me acompanha em todo o meu caminho de cristão, de irmão, de servidor e de bispo. É um lema que exprime os sentimentos que me unem a cristo e à sua cruz e me colocam sob o olhar da Mãe de Jesus, a Senhora da Conceição, padroeira do Porto.»


O novo bispo do Porto nasceu a 29 de Agosto de 1948, na freguesia de Tendais, concelho de Cinfães (Viseu). António Francisco dos Santos foi nomeado Bispo Auxiliar de Braga em Dezembro de 2004 e, dois anos depois, foi indicado para Bispo de Aveiro. A sua ordenação episcopal ocorreu em Março de 2005, na Sé de Lamego. Foi ordenado padre em Dezembro de 1972. O prelado, de 65 anos, sucede a D. Manuel Clemente, bispo do Porto entre 2007 e 2013, ano em que, a 18 de Maio, foi nomeado patriarca de Lisboa. Enquanto bispo do Porto, António Francisco dos Santos vai contar com os bispos auxiliares D. Pio Alves, atual administrador apostólico, D. António Bessa Taipa e D. João Lavrador. E, segundo interessante revelação vinda este sábado no Jornal de Notícias, este D. António, simpático Bispo do Porto, é um também adepto fervoroso do F C Porto. O que mostra mais estar em sintonia com todos os bons cristãos  diocesanos.

Pertence ao Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa, e preside à respectiva Comissão Educação Cristã e Doutrina da Fé. Conhecido pela disponibilidade para o diálogo, por ter uma personalidade tolerante e pela simplicidade, António Francisco dos Santos vai estar à frente da diocese mais populosa da Igreja católica em Portugal, com mais de 2 milhões de habitantes, e que abrange 26 concelhos, sobretudo do distrito do Porto.


Armando Pinto

3 comentários:

  1. Depois de D.Antonio Ferreira Gomes foi Bispo D.Júlio Tavares Rebimbas e so depois D.Armindo Lopes Coelho!

    ResponderEliminar
  2. A referência a anteriores bispos foi apenas como mera indicação de apenas alguns (ou seja, não todos, evidentemente) e com grandes hiatos de tempo. Pois entre D. Américo, por exemplo, e os outros, há até mais de um século de diferença. E houve outros importantes, como D. António Barbosa Leão, D. António Castro Meireles, mesmo administradores como D. Florentino Andrade e Silva, D. João Miranda, até D. Pio.
    A Igreja da diocese do Porto tem tido grandes Bispos, com importante desempenho.

    ResponderEliminar
  3. De verdade se diz que o FC Porto é o cartaz de tudo o que é Porto, costumando-se juntar Porto Cidade e Clube, vinho do Porto, a diocese, bispo, etc e até mais um Papa se diz que é o Pinto da Costa.

    ResponderEliminar