Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

1º de Maio Azul... da Era Presidencial de Pinto da Costa


No dia 1 de Maio de 1982: «...o (então) recém-eleito presidente do F C Porto, Pinto da Costa, percorreu a pé o caminho entre o Estádio das Antas e o Governo Civil do Porto, acompanhado de muitos outros portistas, para entregar uma mensagem de protesto pela forma como o clube estava a ser tratado na altura.» 

Ora, logo que tomou o pulso aos destinos do F C Porto, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa começou a tratar dos assuntos do clube do coração como deve ser, procurando defender intransigentemente os interesses portistas. Tal qual tentou lutar, formando dupla com o treinador José Maria Pedroto, contra o sistema desportivo do BSB até aí implantado, ainda como chefe do departamento de futebol, e depois como Presidente reforçou essa pugna, qual cavaleiro de tempos heróicos lutando por supremo graal.


Desse 1º de Maio, do ano da mudança do F C Porto, diluem-se já as memórias no tempo. Temos ténue ideia de haver sido numa manhã, salvo erro ou se a memória não nos atraiçoa, de um sábado, naturalmente feriado. Mas mantém-se viva a imagem de interventiva multidão, em uníssono pelo bom nome do clube, a manifestar-se diante do antigo edifício público que albergava o Governo Civil por esse tempo. 


Na época ainda não havia o Metro, ou seja transporte de metropolitano, restando os tróleis e autocarros como transportes públicos para deslocações urbanas dentro da cidade, e o Governo Civil era o representante governamental no distrito - ao passo que hoje já não existe, por decisão estatal, apesar de não ter ido avante a Regionalização, que não convém ao poderio da capital do país... havendo porém Metro, felizmente, por obra e graça do antigo Presidente da Câmara Fernando Gomes.

Pois, Jorge Nuno Pinto da Costa meteu peito na defesa do F C Porto e continuou ao longo dos anos, por muito tempo. Nesse prisma, recordamos uma breve passagem duma entrevista de Pinto da Costa (reproduzida na revista do Jornal de Notícias sob título "F. C. Porto: 100 Anos de Glória"), aquando do centenário do F C Porto, como se sabe em 1993.


Pinto da Costa: É esse mesmo Presidente, passados 32 anos, que desejamos rever, com igual acutilância, agora não só, mas também, a batalhar contra o poder da atual "troika" lisboeta, e especialmente a remediar erros do passado presente, bem como a organizar o futuro, como ele tão bem sabe, reorganizando a estrutura clubista, de modo a recuperar-se a confiança que tem sabido transmitir.

Venha de lá novo ciclo, contra o que tanto auguram os adversários, de forma a que retorne a mística Portista que emergiu do anterior estado dum Dragão adormecido, para o pujante Dragão a lançar fogo, através da direcção de Nuno Pinto da Costa. 

Armando Pinto 

---» Clicar sobre as digitalizações, para ampliar «---

1 comentário:

  1. Mais um post a calhar no dia e a propósito. Pena que os adeptos do Porto quando andam sem entusiasmo não dão atenção a nada e só sabem ser contra directores, treinadores, jogadores, etc, no oito e oitenta que vemos, para depois tudo voltar a ser bestial quando ganharmos.

    ResponderEliminar