quarta-feira, 23 de abril de 2014

5º Aniversário do Dragão Caixa


Perfaz agora já cinco anos que, numa noite agradável, plena de calor humano e entusiasmo Portista, foi inaugurado o novo pavilhão gimnodesportivo e polivalente do F C Porto, denominado Dragão Caixa. Nessa inesquecível noite de 23 de Abril de 2009 em que também o autor destas linhas esteve presente, em corpo e alma, graças a amável convite da então Diretora da revista Mundo Azul, do Conselho Cultural do F C Porto, derivado a estarmos a colaborar com algumas crónicas nessa publicação do clube, ao tempo.


Tal como será sempre lembrado com um frémito especial o golo de Kelvin, ao minuto 92 do Porto-Benfica mais entusiasmante, bem como se recorda sempre com emoção as grandes alegrias de Viena e Tóquio, mais as seguintes euforias das taças europeias e mundiais conquistadas, assim como estivemos felizmente na inauguração do Estádio do Dragão, entre memórias gratas e inesquecíveis, igualmente tem lugar especial em nosso coração o que vivemos ali, no Dragãozinho, nessa noite de gala Portista… e, de estrela na mão, como todos os que lotavam as bancadas, além da pequena lanterna de prender ao dedo (que emprestamos para o museu atual, entretanto)…  lá vimos, apesar da meia-luz, apropriada aos momentos de brindes de parabéns, ali diante dos olhos, alguns dos nomes sagrados que tanto admiramos ao longa da vivência clubista, como Américo, Cristiano, Mário Silva, Fernando Gomes, Rodolfo, Aurora Cunha, Victor Hugo, Fernanda Ribeiro, Leandro, Leite, Vitor Baía, João Pinto, etc. etc.


Faz agora cinco anos, que estivemos também no Dia Um do Dragão Caixa, assim chamado em homenagem à ajuda monetária da Caixa Geral de Depósitos, entidade bancária patrocinadora da edificação (como já ajudara mais clubes, entretanto, a construir diversas outras estruturas). Pavilhão desportivo esse, o nosso, também conhecido entre adeptos por Dragãozinho; e que substituiu o antigo Gimnodesportivo das Antas, apeado devido ao plano de urbanização das Antas, à época da construção do novo estádio do Dragão, vizinho e irmão maior e mais velho, por assim dizer.


Foi então isso numa noite mágica, que sabe sempre bem recordar – como aqui fazemos, agora, através de algumas páginas das revistas Mundo Azul e Dragões, desse tempo. Cujas imagens e algumas legendas ajudam a narrar algo histórico e dispensam maior desenvolvimento descritivo.






Em sequência dessa efeméride e pela ligação existente, aproveitamos para recordar o anterior pavilhão, de jogos (pois havia ao lado o pavilhão de treinos, que a partir de determinada época foi chamado de Pavilhão Afonso Pinto de Magalhães). Tendo o antigo Gimnodesportivo das Antas sido inaugurado em 1973 e mais tarde rebaptizado de Pavilhão Américo Sá, edificado através de campanha de angariação de fundos e ajudas dos sócios e adeptos Portistas, para o qual também contribuímos, quer através de comparticipação com importância monetária que nos foi possível, bem como com colaboração na venda de cadernetas de bilhetes para o sorteio monumental realizado, a reverter para seu devido fim.


Desses factos, juntamos imagens da frente e verso dum bilhete desse sorteio, mais uma crónica inserta no livro “A Vida do Grande Clube Nortenho”, alusiva à narrativa memorial do recinto oficial das modalidades amadoras, na cidade desportiva das Antas.


Ora, sucedendo ao Pavilhão Gimnodesportivo das Antas / Américo Sá, o Dragão Caixa ergue-se altaneiro lateralmente ao Dragão, como é normalmente referido o estádio, fazendo parte dos locais de peregrinação Portista, enquanto sítios onde vive o F C Porto.

Como dados históricos, eis uma "ficha" do Dragãozinho / Dragão Caixa:

Dezanove meses após o início da construção, o Dragão Caixa, a nova e atual casa das modalidades amadoras de pavilhão do FC Porto, tornou-se uma realidade, sendo  inaugurado na quinta-feira dia 23 de Abril de 2009.
Andebol (modalidade estreou o pavilhão, em jogo a contar para os "play-off" do Nacional da modalidade, frente ao Horta), basquetebol e hóquei em patins são os grandes beneficiados com essa infraestrutura que possibilitou o regresso a "casa" quando andaram anos dispersos por outras cidades. Como cumprimento de um sonho de Pinto da Costa, o presidente que tinha assumido a nova casa das modalidades como uma prioridade para o mandato contemporâneo, tendo  o empreendimento sido lançado simbolicamente nas comemorações do seu 25º aniversário na presidência do clube.
Orçado em 11,7 milhões de euros, o Dragão Caixa tem 2007 lugares sentados (1868 em bancada, 121 camarotes e 18 para comunicação social) e é considerado mais um arrojo arquitetónico de Manuel Salgado, que também projetou o Estádio do Dragão. Havendo esse arquiteto lisboeta tido a colaboração de Jorge Estriga, Joana Pinheiro e Inês Cruz.
O Dragão Caixa - assim chamado, repete-se, pela parceria havida com a Caixa Geral de Depósitos, a qual por essa via investiu no "naming" do pavilhão – é nome de marca, efetivamente, com sucesso. Destaca-se por estar assente em pilares e por se organizar em três pisos, a arena onde fica o campo, as bancadas para os adeptos e um terceiro nível que alberga os serviços administrativos. Construído num vazio urbano de 8300 metros quadrados, entre o estádio e a Via de Cintura Interna, o pavilhão tem uma forma retangular com as extremidades ovais, tendo uma área de construção de 13 mil e novecentos metros quadrados.



Armando Pinto


&/&/&/&/& = CLICAR nas páginas digitalizadas, para ampliar e ler = &/&/&/&/&

4 comentários:

  1. É, efectivamente, mais um magnífico empreendimento da era do Presidente Pinto da Costa que assegura o ecletismo do Clube e contribui para a grandeza da sua história.

    É muito lindo por dentro e a sua localização enquadra-se maravilhosamente com o Estádio do Dragão -o mais belo da Europa- numa concepção muito bem conseguida pelo arquitecto Manuel Salgado. Depois, tem o Metro a levar-lhe à porta
    os espectadores o que o torna muito acessível sem incómodos ou apertos de multidão.

    Excelente a evocação na primeira pessoa da inauguração do Dragão Caixa.

    Abraço.

    DRAGÃO, SEMPRE!

    ResponderEliminar
  2. Boa lembrança. Mostra que tem memória, como indica o título do blog. E não vi sequer no site do FCP por enquanto. Como é lindo o nosso pavilhão, o qual tem chegado para as necessidades. Foi uma bofetada ao Rui Rio e a cidade agradece.

    ResponderEliminar
  3. Quando fez dois anos as agências informativas publicaram

    Inaugurado a 23 de Abril de 2009, data em que Jorge Nuno Pinto da Costa festejava o 27º aniversário como presidente do Futebol Clube do Porto, eis que, volvidos dois anos, o "Dragão Caixa" se tornou na verdadeira casa das modalidades do emblema azul-e-branco!

    Ao fim de dois anos a acolher jogos de hóquei em patins, andebol e basquetebol, aquele recinto desportivo atingiu os 100.000 espectadores, tendo uma taxa de ocupação bastante grande.
    Neste pavilhão, o Futebol Clube do Porto continuou a "saga" invencivel que começara há vários anos no Pavilhão Municipal de Fânzeres.

    ResponderEliminar
  4. Passamos no FC Porto momentos de quase crise, mas como não sou pessoa de falar muitos nos tempos alegres e nuca desanimo, venho agora, apesar de algum desânimo. Porque vejo que com a onda derrotista quase nem se fala no 32º aniversário de Pinto da Costa como presidente do FC Porto e do 5º aniversário do Dragão Caixa. Assim sendo este site está de parabéns, porque está em todas sempre que pode, quer chova e esteja triste, ou faça sol e apeteça sorrir.

    ResponderEliminar