Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Entrevista de retrospetiva a Joaquim Leão, vencedor da Volta a Portugal cinquentenária…


Tal como no início da Volta a Portugal, aqui há dias, ainda, voltamos agora de novo atenções memoriais à Volta portuguesa, por estas alturas em que os ciclistas dão as últimas pedaladas na maior prova nacional velocipédica. Em mais uma corrida pelo tempo, ao sabor da brisa das recordações, erguendo o dorso para recuperação de fôlego desta modalidade que passa a grande parte das terras e às casas das pessoas, para regressar à memorização sobre a antiga importância que era dada ao ciclismo, esse desporto sobre rodas que tanto engrandeceu o F C Porto, no caso.


Bem se sabe que há voltas e voltas, e inclusive também Voltas a Portugal de diversos géneros e feitios. Mesmo, ainda não há muitos anos, havia uma Volta a Portugal em automobilismo, ainda. Mas, antes e agora, sempre que se fala em Volta a Portugal, de imediato, ipso facto, se associa ao ciclismo, tendo em conta a Volta a Portugal em bicicleta, como se diz.

Pois sim. E com isso houve um grande entusiasmo portista, visto o F C Porto, entre, pelo menos, finais da década de quarenta até princípios da década de sessenta, ter tido grande predomínio nas corridas oficiais de bicicletas.  Daí o autor destas linhas ter andado a par e passo atento à carreira dos ciclistas de azul e branco vestidos, pelos idos longínquos tempos de infância (de quem recorda estas andanças), quando surgiram as vitórias de Sousa Cardoso e, depois Mário Silva, depois ainda José Pacheco, até que, passado um ano de interregno, se seguiu a Volta a Portugal ganha por Joaquim Leão, um ciclista grande em tamanho e valor... que muito admiramos, como ciclista da camisola das duas listas azuis das Antas e colega dos nossos ídolos principais dessas épocas, Mário Silva e o Sousa Cardoso.

= Uma formação do F C Porto participante numa prova do calendário ciclista, pelos finais dos anos cinquentas, do século XX. =

Ora, no lanço (da exposição anterior), continuamos ainda, desta feita, fruto do entusiasmo de adepto do ciclismo do F C Porto, também, com mais algumas reminiscências, para evocarmos o vencedor da Volta corrida há cinquenta anos, em representação do F C Porto, clube (equipa) que venceu a mesma Volta nacional também coletivamente, nesse ano em apreço.


Em vista disso, relembramos uma entrevista dedicada ao Joaquim Leão, através duma retrospetiva efetuada ao correr dos anos noventa, do século passado, já, a lembrar o grande triunfador individual da Volta a Portugal de 1964, cuja edição este ano perfaz conta jubilar cinquentenária.

Armando Pinto

((( CLICAR SOBRE AS IMAGENS, PARA AMPLIAR )))

7 comentários:

  1. Mais um post grandioso de uma modalidade que outrora nos deu imensas alegrias, numa perspectiva destes tempos os nossos ciclistas como o Joaquim Leão, vencedor da volta em 1964, mas já bem referenciado acima pelo meu amigo Armando Pinto, era ele e outros que nos enchiam de orgulho e contribuíram para que ainda hoje o FCP é o mais somador de voltas ganhas a Portugal, 13. VIVA O CICLISMO DO FCP !!! Um abraço Armando Pinto.

    ResponderEliminar
  2. Caro Armando Pinto.Esta será uma equipa do F.C.Porto do ano 59 ou talvez 60.Treinador Onofre Tavares,a seguir não identifico,depois Artur Coelho,Martins Almeida,Sousa Santos,Emídio Pinto,Sousa Cardoso,Azevedo Maia,Mário Sá,Carlos Carvalho e por fim outro elemento que não identifico.Consulte seus arquivos e se possível faça o seu comentário. Abraço Joaquim Luís Costa.

    ResponderEliminar
  3. Viva, sr. Costa.
    É sempre um prazer saber que lê isto também um bom amigo antigo ciclista, participante da Volta pelos inícios da década de 60 (1961 e 62). Ora penso que terá razão. Por isso é que não identifiquei nada na foto, pois ao certo apenas sabia que o 6º a contar da esquerda era o Sousa Cardoso, que esse identificava bem, enquanto o último era o Carlos Carvalho, e dos outros tinha diversas duvidas, apesar de algumas caras me pareceram, quem eram afinal, mas sem certezas. Tudo isto porque de onde retirei a foto (gravura), do Jornal de Notícias, cujo original possuo (em papel / jornal, claro), tem escrito que a foto é de 1966. O que realmente não pode ser, e logo, sendo então de finais dos anos cinquenta ou princípios de 60.
    Agradeço a informação e será sempre bem vindo o seu comentário entendido, de quem sabe do assunto.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Grande memória e justa homenagem ao ciclismo do F C P e aos bons ciclistas portistas.
    Confirmo o que o amigo Armando Pinto esclareceu no comentário acima, porque acabo de ver, ao procurar sobre Sousa Cardoso, um post de alguns anos atrás no seu blogue Lôngara, como se pode ver pelo link
    http://longara.blogspot.pt/2012/05/sousa-cardoso-um-senhor-campeao-do-f-c.html

    ResponderEliminar
  5. Será que algum dia vamos voltar a ver o F.C. Porto no ciclismo? Se isso acontecesse e juntamente com mais clubes, de certeza que crescia bastante o entusiasmo das pessoas em ver a Volta a Portugal. Enquanto isso não acontece, vamos recordando as antigas glórias e vitórias que fizeram com que fossemos o clube com mais vitórias, como já foi lembrado no primeiro comentário.

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Amigo Armando Pinto. De novo na página par uma informação mais concreta...O ciclista que não identifiquei e que está ao lado do Onofre Tavares,é Agostinho Brás e esta é uma uma foto de 1959 sendo esta a equipa que alinhou no Grande Prémio Vilar. De salientar ainda a presença de Emídio Pinto que na década de 60 já não corria o mesmo acontece em relação a Martins de Almeida que nesse altura já era meu colega no Académico. O ultimo elemento da direita quase me leva a dizer que será o Adriano Castro,um senhor natural da Longra,e que devido á sua ligação ao F.C.Porto,estivesse nessa altura ligado á secção de ciclismo. Um abraço Joaquim Costa.

    ResponderEliminar
  7. e para quando o ciclismo no nosso FCP?

    ResponderEliminar