Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

F C Porto em Angra do Heroísmo, agora e… em 1950!


Num ambiente algo esbatido, perante a irregularidade da equipa de futebol sénior portista, paira alguma nebulosidade no semblante azul e branco quando se perde oportunidade de tomar a dianteira do panorama futebolístico nacional. Assim, com as prestações no campeonato da Liga em fase de altos e baixos, o F C Porto deverá também pensar na participação em todas as competições, durante toda a época. Ora, assim sendo, haverá de se pensar igualmente na Taça, enquanto terá de haver um cerrar de dentes para o que se avizinha decisivamente no campeonato…

Entretanto, além de ter de haver mentalidade ganhadora em qualquer local, em casa e fora, como até nas idas à ilha da Madeira, por exemplo, também na Taça o F C Porto vai em breve até outra ilha, do grupo dos Açores. Onde bonitas paisagens se vislumbram por entre clima de quase simultâneas estações num mesmo dia, como os representantes do F C Porto se terão de adaptar e transfigurar, tal como o sol brilha sempre entre as nuvens. Enquanto nós, os que estamos fisicamente sempre fora do campo, mas de resto com tudo lá dentro, queremos continuar com confiança no futuro, desde que haja atitude vencedora de quem anda por nós e por eles mesmos dentro do recinto de jogo. 

Pois... lá terá de se começar a pôr a cabeça também na Taça, sem descurar o campeonato. Tendo ditado o sorteio da FPF que o ANGRENSE é o próximo adversário do F C PORTO na 4ª eliminatória da edição da Taça de Portugal de 2015/16. Indo assim os Dragões viajar até aos Açores, proximamente, para jogarem perante o clube de nome representante da bonita cidade de Angra, da ilha Terceira, no dia 21 de Novembro que se avizinha.

O Angrense, do ex-Campeonato Nacional de Seniores (CNS) e agora chamado Campeonato de Portugal (CP), será então o adversário do Futebol Clube do Porto na quarta eliminatória da Taça de Portugal, em encontro que se vai disputar em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, dos Açores.

Reina entretanto natural euforia em tal boa nova para os portistas residentes nessas bonitas paragens distantes e esfregam as mãos de contentes os dirigentes e adeptos do referido clube ilhéu, pela ressonância que terá esse evento, como acontecimento e fator revigorante.

Não há registo de encontros entre os Dragões e a formação açoriana do Angrense, que está atualmente entre os primeiros lugares da série E do CP. Na atual edição da Taça de Portugal, o Sport Club Angrense já eliminou a Associação Académica de Coimbra-SF, da Divisão de Honra da Associação Futebol de Coimbra (2-1, em casa), o Moura, da série H do CNS (2-1, fora, após prolongamento) e o Torre de Moncorvo, da Divisão de Honra da AF Bragança (4-1, em casa). Em 2013/14, o clube fundado a 1 de Dezembro de 1929 venceu a Liga Açores, tendo, na época seguinte, subido ao CNS e atingido a permanência com tranquilidade, permanecendo na mesma divisão (com o novo nome CP, presentemente). O ex-internacional português Pedro Pauleta, natural de São Miguel e que, embora algo fugazmente, também passou pelo F C Porto, representou o Angrense em 1994.

Assim, o F C do Porto nunca defrontou o Angrense, até agora. Unicamente chegou a fazer um jogo particular na ilha Terceira, diante de equipa representativa da ilha, formando seleção da Terceira, aquando dum périplo da equipa titular portista pelas ilhas, ao começo da década de cinquenta, do século XX.

= Barrigana, o então idolatrado “homem das mãos de ferro”, senhor de grandes estiradas, foi um dos grandes nomes da bola que alinharam em Angra do Heroísmo no jogo do F C Porto com uma seleção da ilha Terceira, em 1950. =

Aliás, acrescente-se, o clube açoriano Angrense  só jogou oficialomente com um dos clubes de maior nomeada do continente português, o Benfica, do qual o mesmo clube de Angra é filial. Tal aconteceu em 1959/60. Na altura as eliminatórias da Taça de Portugal eram disputadas a duas mãos, tendo o Benfica ido vencer com naturalidade (por 0-2) o seu filiado na ilha Terceira e depois carimbado o afastamento do Angrense com uma goleada no antigo Estádio da Luz, por 10-0. Curiosamente, anos volvidos voltou a deparar-se nova oportunidade entre os mesmos intervenientes, mas então o clube de Lisboa não precisou de jogar, sequer… Numa “história gira”.

- O quê…? Pois não é que o regime antigo permitia tudo ao clube do regime…reinol?! Ora foi isso mesmo… como é narrado em diversas crónicas, e, por exemplo, o site “Maisfutebol” descreve da seguinte forma:

Um compromisso da Taça que passou a jogo particular

…Sete anos mais tarde (da tal eliminatória anterior), como campeão dos Açores, o Angrense regressou à Taça de Portugal. Uma vez mais, foi emparelhado com o Benfica mas o jogo da 3ª eliminatória não se chegou a realizar.
«Devido a compromissos internacionais, o Benfica não estava em condições de apresentar a sua equipa principal na data em que deveria ser disputada a eliminatória. Em vez de efetuar o jogo, o Angrense aceitou a proposta dos benfiquistas para um jogo particular, a realizar mais tarde, com todos os jogadores da equipa que conquistou o título nacional dessa época», é possível ler na revista publicada no 83º aniversário do clube Angrense.
Nos registos ficou uma desistência do Angrense e a passagem do Benfica à eliminatória seguinte, onde acabou por ser afastado pela Académica de Coimbra.
O clube da Luz manteve a promessa e apresentou-se na Terceira posteriormente, em Junho, com Eusébio e companhia, para deleite dos locais. Vitória por 6-1 no jogo particular. Enfim…

Ora o F C Porto, agora que se depara ocasião, vai mesmo à ilha Terceira, na oportunidade em que surge vez de disputar um jogo oficial com um clube insular daquela atraente terceira ilha descoberta do arquipélago dos Açores. Pois da anterior vez, e de cariz amigável, há muitos anos, foi com uma seleção dos clubes da ilha, sabendo-se que em Angra do Heroísmo pontificam, com alguma rivalidade pelo meio, o Angrense e o Lusitânia (com o qual o F C Porto já jogou, em 1974 e 1979 e também para a Taça de Portugal, embora na cidade do Porto, tendo vencido primeiro por 8-0, através de 2 golos de Cubillas, 2 de Ricardo, 2 de Abel, 1 de Flávio e 1 outro de Oliveira; enquanto depois foi por 2-0 com um bis do goleador Fernando Gomes. Curiosidades estas relacionadas com esse clube fundado no ano da travessia aérea do Atlântico sul, em 1922, e por isso assim chamado com o nome da aeronave desse nome, em homenagem à travessia transatlântica de Gago Coutinho e Sacadura Cabral). Em cujo Estádio João Paulo II se vai disputar o jogo Angrense-F C Porto, devido ao estádio municipal, onde costuma jogar o anfitrião Angrense, não reunir condições regulamentares para a disputa oficial da prova em causa.

Tempos, aqueles antigos, em que o F C Porto, como se vê, tinha de lutar contra o poderio federativo do sistema BSB... mas mesmo assim era um clube de grande implantação nacional.


Esta ocorrência próxima faz relembrar a tal vez anterior em que o F C Porto foi até aos Açores e particularmente à ilha Terceira, onde disputou um jogo de futebol. Tal aconteceu em 1950, aquando duma digressão efetuada pela equipa principal do F C Porto pelas ilhas, numa embaixada clubista de grande significado e impacto, com paragens e realização de jogos na ilha da Madeira e em duas ilhas dos Açores, em S. Miguel e na Terceira. Viagem essa realizada devido ao sucesso da digressão feita no ano anterior a África, na famosa Caravana da Saudade. Tendo então o F C Porto ido também levar idêntico abraço às ilhas portuguesas, sulcando as águas do mar até ao meio do Atlântico. Num trajeto feito de barco, como era mais viável à época, em navio a vapor, como regista uma foto coeva, durante a navegação – em pose de conjunto de viajantes, com os futebolistas e dirigentes do F C Porto a serem alvo de cordial simpatia por parte dos tripulantes e passageiros. Entre outros, vê-se Virgílio ao centro, em primeiro plano sintomático.

Corria adiantado o mês de Junho, naquele ano primeiro da década de 50, e no jogo disputado em Angra, com a seleção local da ilha Terceira, o F C Porto venceu por 4-3, num ambiente de grande entusiasmo e apreço.

A referida digressão foi prolongada, tendo a comitiva portista saído de Portugal em Junho (depois ainda de no mesmo mês o F C Porto ter efetuado alguns jogos particulares de cariz festivo, entre os quais venceu a equipa brasileira da Portuguesa de Santos por 1-0, havendo o regresso ao Porto sido já a meio de Julho.

Daquele jogo em apreço, feito em Angra do Heroísmo, junta-se aqui, também, a foto da equipa do F C Porto que alinhou então diante da seleção insular, integrando efetivos e suplentes. Num documento fotográfico raro, graças a um amigo leitor deste nosso blogue, que nos facultou tal preciosa relíquia (que lhe foi cedida por um senhor que era amigo de seu pai e tem atualmente 83 anos, o qual se ufana ainda e bem de ter também entrado em campo no decorrer desse jogo amigável, tendo jogado nos últimos 15 minutos pela seleção da Ilha Terceira, a modos que ainda hoje fala num jogador que na altura se dizia estar algo adoentado mas encheu o campo todo com o seu futebol… o célebre Araújo).


Na foto, vêm-se os grandes nomes do F C Porto admirados pelo país de cá e além-mar, que jogaram nesse dia – e é possível reconhecer pelo que se conhece da nossa Historia Portista e por quanto se vai colecionando, familiarizados com fisionomias de quem nunca vimos sequer pessoalmente. Aparecendo-nos diante dos olhos uns António Araújo, Joaquim Machado, Pinto Vieira, Ângelo Carvalho, Alfredo Pais, Virgilio Mendes, Romão?, Barrigana, Monteiro da Costa, Vital? (Correia?), Sanfins, José Maria, Carlos Vieira e (...?). Enquanto os duvidosamente restantes, mais (...), deixamos à apreciação de quem os conseguir identificar. Em sequência que apraz colocar à curiosidade e atenção pública.

Armando Pinto

((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

5 comentários:

  1. O Porto empatou? O Sporting ganhou ao Benfica? Os sportinguistas também precisam duma alegria destas de vez em quando. Já não ganham o campeonato há mais de 10 anos, muito mais. O mal é que o Porto do Lopetegui não sabe aproveitar e tanto ganha aos bons como empate com fracos.
    Grande texto e trabalho de sapa de pesquisa que devemos agradecer em nome do clube e dos portistas em geral.
    Agurdemos que os nossos jogadores arrepiem caminho, a começar pela seguinte viagem à Madeira. Mais para diante nos Açores é para continuar..

    ResponderEliminar
  2. Mesmo com estes percalços dos resultados do nosso clube como ontem com o Braga ; sabe sempre bem seguir alguns retalhos da História do nosso FCPorto ; e este é mais um trabalho espectacular aliás no seguimento de todos os outros do Sr Armando . Um abraço a todos . Hernâni Rocha Açores

    ResponderEliminar
  3. Este inesperado empate tem sabor amargo, é verdade, porque de novo não aproveitamos a possibilidade de chegar à liderança da prova e mostramos uma superioridade no jogo que não ficou demonstrada em golos marcados. Todavia, acho que o FC do Porto está bem melhor do que no passado, quer individual como coletivamente. Não sei nem é importante saber, o que levou Julen Lopetegui a colocar Rúben Neves no banco, mas não deverá ter sido por aí que o FC do Porto não venceu,. já que André André, Danilo Pereira e Imbula tiveram boas prestações. Por outro lado, quer se goste ou não do modo como as equipas adversárias jogam no Dragão, ninguém pode negar que o SC de Braga fez muito bem o seu papel nesta partida e vem a demonstrar nos jogos já realizados que está a tornar-se uma equipa de valor capaz de discutir de igual para igual o resultado seja na Pedreira ou fora de casa, contando até agora com três vitórias na Liga Europa em outros tantos jogos.

    DRAGÃO, SEMPRE!

    ResponderEliminar
  4. Angrense – FC Porto agendado para 21 de Novembro
    Noticia de hoje 28 Outubro 2015
    O jogo entre o Angrense e o FC Porto, da quarta eliminatória da Taça de Portugal, vai realizar-se a 21 de novembro, sábado pelas 17 horas (18:00 em Portugal continental), na ilha Terceira.
    A foto da equipa é qualquer coisa nunca vista na internet. Tenho estado à espera de ver se alguém consegue saber os nomes de todos, mas deve ser difícil mesmo.

    ResponderEliminar
  5. FC Porto Global
    4731 dias e quase 13 anos depois, o ‪#‎FCPorto‬ volta ao arquipélago dos Açores, desta vez para discutir com o Angrense a presença na quarta eliminatória da Taça de Portugal (sábado, 18h00 de Portugal Continental, menos uma nos Açores). No Estádio João Paulo II, em Angra do Heroísmo, os azuis e brancos realizarão o jogo 400 na segunda mais importante prova do calendário português, que pode ser seguido em tempo real no Twitter do FC Porto e acompanhado no Facebook e Google+. Logo após o apito final, sintonize o Porto Canal para o rescaldo do encontro e leia aqui a crónica da partida.
    Depois de ter afastado o Varzim, na Póvoa, com uma vitória por 2-0, os Dragões voltam a um lugar do país que já não visitavam desde o início do novo milénio – a última vez foi em Dezembro de 2002 para defrontar o Santa Clara para o campeonato, numa partida que venceram por 3-1. Agora, o adversário é o Angrense, líder da série E do Campeonato Nacional de Seniores, que esta época soma por vitórias todos os jogos realizados em casa.
    Em 76 edições da Taça de Portugal, este será, assim, o jogo número 400 do FC Porto, que o coloca como a segunda equipa portuguesa com mais partidas disputadas na competição, menos 25 do que o Benfica, o primeiro da lista. No total, os azuis e brancos já marcaram 1106 golos, numa média de quase três por jogo.
    Na conferência de imprensa de lançamento da partida, que será arbitrada por Luís Ferreira, Julen Lopetegui garantiu que a equipa terá de fazer um "jogo completo", "com intensidade e velocidade", até porque a conquista da Taça de Portugal é um dos objetivos da temporada. O treinador espanhol fez várias alterações na lista de convocados, na qual se destacam os regressos de Igor Lichnovsky, José Ángel, Sérgio Oliveira e Alberto Bueno e as chamadas de João Costa e Víctor García, da equipa B.
    ‪#‎SomosPorto‬ ‪#‎TudoNossoNadaDeles‬

    ResponderEliminar