Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

O Hóquei do F C Porto na Seleção da Associação de Patinagem do Porto


Como água corredia que leva consigo agradável frescura de matar a sede e aragem fresca que transporta ameno bem estar, também o F C Porto, como grande realidade que é perante o calor do entusiasmo desportivo, leva sempre mais vigor a tudo o que necessite da presença de algo representativo, como é o caso das seleções. Seja nas chamadas seleções nacionais, dos diversos escalões, como mesmo a nível associativo, quando está em jogo uma seleção da Associação respetiva, em qualquer modalidade. Tal como tem sido no panorama do hóquei português, vindo ao caso relembrar o facto de também no hóquei em patins o F C Porto costumar valorizar as representações da Associação de Patinagem da área geo-administrativa em que o grande clube azul e branco está inserido e naturalmente filiado.

Tem assim vez, desta feita, relembrar presenças de representantes do F C Porto em eventos onde a seleção da associação portuense de hóquei esteve presente, entre as muitas ocasiões em que a Associação de Patinagem do Porto se fez representar. Damos aqui como exemplo duas circunstâncias, que servem para exemplificar a ligação correspondente.  


Assim, em linha cronológica, começamos com a lembrança duma Seleção da APP nos inícios da década de setenta, com o F C Porto representado por Cristiano e Hernâni, então (quando outros, que também poderiam ter lugar nesse lote, estavam ausentes em serviço militar na guerra colonial, tal como acontecia com Castro e Fernandes). Enquanto dos restantes selecionados, componentes dessa equipa, havia ali alguns hoquistas que mais tarde também passariam pelo F C Porto. Sendo essa seleção, que defrontou a congénere de Lisboa, composta por Cristiano, Júlio Rendeiro (ao tempo ainda no Infante de Sagres), Prezas (do Carvalhos, mais tarde também do FC Porto), Hernâni, Manuel Pires (do Valongo), Santos (Carvalhos), Branco (ex- F C Porto e ao tempo no Académico) e Vale (então ainda do Valongo e posteriormente do FC Porto, também).

Depois, já de princípios da década dos anos oitenta, lembramos uma outra representação associativa em que o F C Porto esteve incluído. Vindo a talhe lembrar a Seleção do Porto que foi em digressão à África do Sul, a Joanesburgo, em 1983, a convite do Malhanga Roller Hóckey, equipa derivada do antigo clube F C Malhangalene, filial do F C Porto. Cuja deslocação dessa embaixada portucalense levou um abraço das gentes do hóquei nortenho aos amigos compatriotas então radicados em Joanesburgo e que haviam rumado àquele país do sul de África depois da descolonização de Angola e Moçambique. Havendo servido de cicerone, durante a estada dos hoquistas da APP naquele país, o antigo hoquista portista Acúrcio Carrelo, à época também residente naquelas paragens.


Nessa seleção da APP estiveram naturalmente muitos e bons representantes do F C Porto, como se pode ver pela identificação da fotografia (a partir da esquerda para a direita): em cima - Fernando Barbot (antigo hoquista do FCP e ao tempo dirigente da Associação, mais próximo da equipa), João de Brito (selecionador/treinador), Alves (FC Porto), Fanã (FCP), Gentil (Oliveirense), Vítor Bruno (FCP) e Adão Castro (Vice-pres. da APP e chefe da embaixada); em baixo – Vítor Hugo (FCP), ? (guarda-redes do Valongo), ? (guarda-redes da Sanjoanense) e Licínio (Sanjoanense). Também se deslocou David Reis (FCP) que não se equipou.

De notar que o equipamento da Seleção do Porto aparece na foto colorida com camisolas verdes, por ser essa a cor normalmente colocada nas Associações do Porto, em analogia com a cor da Câmara Municipal do Porto, apesar de na cidade do Porto ser mais visível o azul, por simbiose ao F C Porto (mesmo por o Porto ser a cidade da Virgem, cuja representação também é mais azul pelo manto das vestes sagradas).

Deste modo fica refrescada a memória com mais estas curiosidades portistas e hoquísticas, entre recordações e mais raridades que vamos deslizando nos patins destas descrições.

Armando Pinto

((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

4 comentários:

  1. O jogador com o nome Camilo, está errado, o jogador é Manuel Pires também da A. D. VALONGO

    ResponderEliminar
  2. Ok. Obrigado pela correção. Fica o reparo, não dando agora para retirar a anotação manuscrita na imagem, por motivos óbvios, sendo a gravura de há muitos anos.
    Armando Pinto

    ResponderEliminar
  3. Joaquim António Paupério8 de julho de 2018 às 21:35

    Em primeiro de tudo, saudações Portistas para Armando Pinto e Pinto Felgueiras, bem hajam, O guarda redes da seleção A.P.P que está há esquerda do Vítor Hugo é Joaquim Silva, conhecido nas "lides" hoquistas por "Quim".
    Penso que seria interessante analisar o fluxo de jogadores da A.D.V que transitaram do Valongo para o FC Porto nas décadas de 1960/70/80 podendo aqui enumerar alguns deles.
    Fim de anos 50 - Mário Correia GR, Joaquim Manuel Leal DF, José Nora MA mais tarde internacional A, José Camilo AV, Américo Moreira AV internacional júnior e A, Manuel Pires AV, António Vale MA internacional júnior e A, Vítor Francisco GR, Luís Paupério GR internacional júnior, Vítor Bruno AV internacional júnior e A, António Alves M internacional, Armindo Fonseca (Nocas) irmão de Vítor Bruno, Paulo Pereira treinador campeão no Valongo, Tozé Neves, Fábio GR, entre muitos outros.
    Os últimos 4 só jogaram nos juniores.
    Felizmente hoje acontece mais o contrário, e digo felizmente porque como vocês devem ter reparado em hóquei em Patins o meu amor divide-se, pois também joguei hóquei em patins na década de 70 na ADV, independentemente do meu coração ter uma só cor /AZUL E BRANCO como dizia o nosso capitão João Pinto.

    P.S- também gostava se fosse possível de ver fotos do FCP (hóquei) com Vítor Francisco, António Prezas, Luís Brandão, que foram percursores do que é hoje o nosso hóquei.

    Muito Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço mais este amável e esclarecedor comentário. Antes de mais cumpre-me explicar que sou um simples associado do FC Porto, residente aliás fora da cidade, quase nos limites do distrito do Porto, que com este exercício memorial procuro fazer algo pelo FC Porto. Sou o Armando Pinto, antigo colaborador/correspondente do extinto jornal do clube, O Porto, e mais tarde colaborador também da revista Mundo Azul, entretanto também extinta e que foi do Conselho Cultural do FC Porto há anos; mas sobretudo um adepto normal, quase anónimo por assim dizer, ou seja sem ligações diretas ao clube. Enquanto os posts e comentários pessoais aparecem como Pinto Felgueiras por motivos antes necessários (para não haver ligações de nome com endereços informáticos), visto um anterior blog ter sido anulado da internet por adeptos adversários, após comentários de benfiquistas que apareceram a quererem que não existisse um espaço assim de memória. Daí que eu reforçasse a ideia, dando a este atual precisamente o nome de Memória Portista. Como tal gostei das explicações que o Joaquim António Paupério colocou. Quanto às sugestões, alguns desses nomes de permeio já foram referidos em anteriores artigos, como pode conferir pesquisando (no espaço apropriado neste blogue) sobre o hóquei do FC Porto. Obrigado. E mais poderá aparecer, com tempo, atendendo a isto ser um mero trabalho amador, por carolismo desinteressado. Com grande abraço portista
      Armando Pinto

      Eliminar