Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Troféu Futebol Clube do Porto


É sabido que o FC Porto, pelo menos do que se conhece pela transmissão historiadora, teve já e tem como galardões de reconhecimento oficial o antigo Troféu Pinga e o atual Dragão de Ouro. Mas entre um e outro teve também o Troféu Futebol Clube do Porto.

Ora a gratidão é uma ação bem bonita e o reconhecimento não lhe fica atrás, como no caso do FC Porto que em muitas e boas ocasiões teve já gestos desses, felizmente. Por entre práticas de um género de agradecimento honorífico, como deve ser.

Lembra o caso o facto de nem sempre haver, no decorrer dos tempos, uma total simbiose entre representantes e defensores do clube perante os apoiantes portistas, atendendo aos sócios, adeptos e simpatizantes darem sua afeição sem esperar outra recompensa que não seja que quem deve defender o clube dê o máximo, para que o FC Porto seja grande e vitorioso. Lembrando-se que fora do clube, mas intimamente bem dentro, haja quem sinta o FC Porto. Como se nota até em como por vezes dentro do campo de jogo não se veja força de querer vencer e raça de saber o que representa isso para muita gente, assim como fora, de quem anda por dentro, o quão necessário é o que está subjacente. Dando ideia que quer atletas como dirigentes e agentes deviam sentir melhor o pulso dos adeptos fieis, como ainda há tempos, por exemplo e entre diversos casos, houve um Encontro de Portistas, denominado Dia de Clube, onde só estiveram antigos atletas (na ocasião ex-futebolistas e um ex-hoquista), mais um antigo dirigente e um vice-presidente da atualidade, além dos portistas anónimos, mas faria bem aos atuais desportistas do clube também vivenciarem esses casos.

De facto houve e há razões que a razão conhece, no caso do FC Porto já ter tido sucessivos ícones de apreço, como galardões oficiais. Do que mais dá valor ao sentimento clubista. Vindo a talhe recordar a existência desse Troféu Futebol Clube do Porto, criado em 1970, durante a presidência de Afonso Pinto de Magalhães, e que ainda existia pelo menos em 1976, quando foi agraciado o futebolista António Oliveira – conforme se comprova por imagem alusiva. Não sabemos, em boa verdade e com exatidão, quantos mais foram atribuídos, apenas temos ideia de ter sido visto em fotografias de uma estante de trofeus de alguém onde constava tal troféu. Até porque o mesmo símbolo escultórico foi concebido para distinguir não só atletas e dirigentes, mas também entidades com mérito correspondente. Sendo certo que existiu, quão mereceu espaço emoldurado no jornal O Porto a elucidar sobre a sua instituição, ao tempo, como distinção para quem a merecesse.


((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Armando Pinto

1 comentário:

  1. A bom entendedor... Alerta e chamada de atenção bem a propósito do que se viu no jogo com o Copenhaga e o que se vem passando nos últimos anos. Os jogadores e responsáveis precisavam de meditar neste texto.

    ResponderEliminar