Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

domingo, 27 de maio de 2018

7º Dia do Clube e Jantar Comemorativo dos Campeões – Um dia em cheio Portista entre Portistas


Com o coração a extravasar de sentimento Portismo, foi mesmo um dia em cheio o que se viveu durante a manhã e de tarde no Dragão, no encontro do já anualmente tradicional Dia do Clube, desta feita em período festivo de boa disposição pela recente conquista do Título Nacional de futebol; e à noite no jantar organizado pelo entusiasmo do amigo Sr. Alvarinho, numa sala a abarrotar de entusiasmo clubista, em Nogueira da Regedoura, assinalando mais um aniversário da grande vitória de Viena.


Quanto à parte inicial e acrescida do Dia do Clube, o 7º na linha a que já nos sentimos ligados, voltou a ser oportunidade de reencontro e conhecimento de portistas atentos à vida do clube, desde autores e gerentes de blogues a frequentadores mais assíduos de locais informáticos, até elementos de apoio e membros das casas e delegações do clube, passando por adeptos mais ou menos conhecidos do mundo azul e branco. Tendo decorrido tudo de forma a ter sido mesmo um dia bem passado, como se diz, enchendo as medidas de ouvir falar do que mais gostamos de ouvir a quem sabe e pode, que é sobre o FC Porto.


De tudo, que mais que descrever interessa e importa o que se sentiu, ressalta quão interessante foi ouvir quase toda a manhã pessoas ligadas à defesa pública do FC Porto, tal qual vemos os comentadores televisivos Miguel Guedes e Paulo Baldaia, assim como especialmente da comunicação do FC Porto, conforme apreciamos Francisco J Marques, mais o Cândido Costa que como deambulava nos relvados antigamente, também agora percorre bem o espaço portista no Porto Canal. De forma que a atenção sobre temas portistas apura mais os sentidos em ocasiões dessas. Entre as comunicações e intervenções constantes no programa. Tendo a tarde sido iniciada em amena cavaqueira no feminino, ouvindo a antiga campeã portista Aurora Cunha, a Ana Filipa Gomes bem conhecida das transmissões desportivas do Porto Canal e as boas comunicadoras Catarina Pereira e Manuela Martins, para ter terminado em beleza com um belo serão memorial, transpirando no ar histórias contadas por Rodolfo Reis, João Fonseca e Fernando Gomes, três dos Campeões Nacionais de 1978 evocados no evento. A ponto do tempo haver passado sem ninguém dar conta, e apenas o correr das horas ter obrigado ao encerramento, terminado em apoteose com a presença do Presidente Pinto da Costa.


Passada essa parte do dia assim bem vivido, em pleno espaço nobre do estádio do Dragão, ao aproximar a noite seguiu-se nos arredores do Porto, já no concelho de Santa Maria da Feira, o mega jantar dos campeões (no “Centro Luzo Venezolano” de Nogueira da Regedora, perto de Espinho e dentro dos limites da Feira) com os Heróis de Viena e naturalmente com a presença de Jorge Nuno Pinto da Costa e alguns dos seus colaboradores diretivos. Uma autêntica Festa dos Campeões que até fez esquecer ser de noite, pelo esplendor de luz, cor e entusiasmo com que encheu o enorme salão bem preenchido com mais de 800 portistas. Em mais uma bela organização do amigo senhor Alvarinho Moreira, um dos portistas mais entusiastas que conhecemos e bem merece nossos parabéns pelo que consegue e logrou fazer.


Num ambiente a extravasar o mar azul ondulante de toda a época, o dia, esse dia de sábado, marcou bem demais o sentimento portista, qual fé, de quem como nós, conforme nos sentimos e segundo diz o poema Aleluia, andam nossas almas cheias. Ficando nos ouvidos a suavidade do hino do FC Porto e acordes de músicas portistas na versão sonora à guitarra de João Dias e voz melodiosa de Jéssica Meireles. Como a boa sensação de termos visto e revisto pessoas que admiramos e tantos amigos que o Portismo que nos une tornou possível e faz ser boa realidade. Quase apetecendo dizer, como diz o Evangelho sobre um dos apóstolos ter dito a Jesus no monte da transfiguração: -“É bom estarmos aqui», ali assim, para nós!

Como tudo o que é bom, porém, não dura sempre, o dia passou e resta esperar por mais, para o ano, quando voltar o Dia do Clube. Ficando por ora as imagens de um dia como esse bem passado.

Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Sem comentários:

Enviar um comentário