segunda-feira, 22 de abril de 2013

31º Aniversário da Presidência de Nuno Pinto da Costa no F. C. Porto

 

Aí está mais uma passagem anual comemorativa da entrada de Jorge Nuno Pinto da Costa como Presidente da Direção do F. C. do Porto. Passada há dias a data da eleição, em 1982 e na atualidade da comemoração da tomada de posse, há 31 anos. 

Numa época, como esta, em que o árbitro que marcou o falso penalti recentemente decisivo da taça da cerveja foi premiado com nomeação para ajudar o clube do regime no dérbi lisboeta, como se sabe, e aliás em quase todos os jogos dos encarnados muitos dos seus adversários são obrigados a jogar com menos elementos em campo, não só pela influência dos árbitros e jogadas de bastidores, mas também expulsão de oponentes de dentro do campo… continua a ser preciso Pinto da Costa pujante na defesa do F. C. Porto, se possível à imagem dos tempos heróicos da dupla Pinto da Costa-Pedroto…!

   

Em homenagem a tudo o que está subjacente ao que desejamos sempre e no porvir, recordamos ora um testemunho, o nosso testemunho há anos relembrado numa das publicações oficiais do clube, quando o Conselho Cultural do F. C. Porto tinha a revista Mundo Azul – em cujo n.º 3, referente ao mês de Maio de 2009, ficou a constar também “isto” que anda algures pelos nossos locais da blogosfera Portista, mas nunca será de mais memorar.

 

Armando Pinto 

»»» Clicar sobre as imagens e páginas digitalizadas, para ampliar «««


5 comentários:

  1. Na semana em que completa 31 anos na presidência do FC Porto e em que anunciou a candidatura ao 13.º mandato, Pinto da Costa deu uma longa entrevista ao portal Lancenet. O presidente dos dragões falou de tudo: do Benfica e das relações políticas, dos dias em que ponderou deixar o clube, da política de contratações do FC Porto e da austeridade em Portugal.
    A sucessão à presidência do FC Porto: "Não tenho de preparar, isto não é uma monarquia. No dia em que entender que tenho de sair, ou que queiram que eu saia, saio. Quem quiser candidatar-se, os sócios vão escolher, sem que eu influencie. Quem vier, se vier às minhas costas, não terá a legitimidade, nem a força e a independência. Se correr bem, vão dizer que fui eu, se correr mal, foi o novo que não foi capaz de fazer o mesmo. A ideia é não envolver-me em luta eleitoral."
    Quando ponderou deixar o clube: "Fumava três maços de cigarro por dia. Decidi não fumar no clube, e não me custou muito, era uma decisão por dois anos. Durante esse tempo, fumaria por dois anos e pararia aos 31. Estive para sair várias vezes, mas, por isso ou por aquilo, não saí. A última vez que eu quis sair foi quando se começou a pensar neste estádio [Dragão] em que estamos. Pensou-se que se eu saísse, o estádio não sairia. Então, entre a minha vida e depois ser acusado de não me meter no projeto, fiquei. Tive vários projetos de pessoas interessadas em determinados ramos, como um projeto com um amigo fantástico, mas, por não ter sucessor, abdiquei."
    A crise financeira em Portugal: "Este governo faz um ataque feroz aos clubes com impostos. Os ingressos de futebol subiram os impostos em 23%, os espetáculos pornográficos só pagam 6%. Se não fosse ferir as pessoas, iria botar os jogadores de cuecas, para ver se incluía, ao invés de em programa desportivo, em programa pornográfico. Há uma insensibilidade do governo. O que é "interessante" é que quando a seleção ganha os governantes aparecem na primeira linha, mas estão a atrofiar os clubes."

    CONTINUA

    ResponderEliminar
  2. CONTINUADO DO ANTERIOR

    Existe união entre os clubes em Portugal? "Não, infelizmente. A Liga, que poderia ser aglutinadora, não faz rigorosamente nada. E o povo, são 16% ou mais de desempregados. Como pode essa gente ir a jogos e pagar mais? A perspetiva não é animadora, mas quando vem uma tempestade temos que tentar nos abrigar e sair incólumes. Temos que investir na estrutura, cada vez mais vai ser necessário investir em talentos. A gente vê jogadores que saem do Sporting por pouco exatamente por isso. Nós, felizmente, temos resistido e vendemos quando entendemos que temos que fazê-lo. Mas sabemos que há clubes milionários que não têm limitações de dinheiro, que são de árabes e russos, como Chelsea, PSG... É difícil resistir. Tivemos propostas grandes para o João Moutinho e tivemos que fazer esforço para segurá-lo."
    O FC Porto como clube de II divisão: "Hoje, o Porto é reconhecido em todo o mundo. Ainda há pouco estive o Durão Barroso (presidente da Comissão Europeia), que estava em 'confins do mundo'. Quando mostrou o passaporte português, falaram logo em Porto, o clube é reconhecido. E claro que a comunicação interessa, o Brasil interessa-se, por exemplo, como é o caso desta nossa entrevista. Tenho dado entrevistas para grandes jornais estrangeiros, o interesse é sempre grande lá fora. Mas se pegar em jornais portugueses, pensa-se que o Porto é da segunda divisão, pois quando chega à página do Porto, os olhos estão calejados de ver vermelho. É a tal centralização, fanatismo nas pessoas em só ver vermelho."
    As relações com o Benfica: "Há relações com todos os clubes, exceto um. É uma relação normal, em que é possível conversar, negociar. É tudo possível, tudo normal, de colaboração, até em projetos comuns. Com o Benfica não existe relações. Rivalidade política não há, nós não nos metemos em política, não quer dizer que não nos demos bem. Quando o primeiro-ministro anterior, José Sócrates, fez um jantar de apresentação dos apoiantes, estava na direita o presidente do Benfica e na esquerda o doutor Mário Soares, um dos pilares da democracia, isso mostra a ligação que havia entre o clube e a política através do partido socialista, mostra que há uma grande identidade. Não estava naturalmente como amigo, Sócrates nunca foi colega dele na faculdade. Mas isto só para lhe dizer que no Porto isto era impensável. Eu, no meu caso, não tenho partido, estou à vontade para votar em quem bem entender para os interesses da cidade, já votei em pessoas de vários partidos, sem qualquer propaganda. Como não tenho partido, voto em quem a consciência me diz que é melhor."

    ResponderEliminar
  3. Armando, com a assinatura do contrato com a Douro Azul e o que lá foi dito sobre o Museu, seria muito mau que ele não fosse inaugurado na data prevista, 28 de Setembro deste ano.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Hoje, conforme nota da página oficial on line do clube:

    «22/04/2013 - Estádio do Dragão entra na rota da DouroAzul

    O FC Porto e a DouroAzul apresentaram esta segunda-feira o novo produto de circuitos turísticos B Dragon. A sessão decorreu no Auditório José Maria Pedroto, no Estádio do Dragão, e contou com a presença do presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa e do presidente do grupo DouroAzul, Mário Ferreira.
    “O Porto e o Norte precisam de pessoas como Mário Ferreira, com o dinamismo e vontade de serem úteis ao Porto e ao Norte. Esperamos que as visitas ao estádio batam todos os recordes depois da abertura do Museu. Esperamos muito desta parceria e, no futuro, de certeza que faremos mais coisas em conjunto. Esperamos que a colaboração seja profícua para ambas as partes”, declarou Pinto da Costa.
    Por seu turno, Mário Ferreira enalteceu a rapidez com que as equipas de ambas as instituições chegaram a um acordo e revelou que, antes da conferência de imprensa, na manhã da própria segunda-feira, já tinham sido vendidos dezenas de bilhetes. “Não é de espantar, dada a força das marcas envolvidas e os programas aqui feitos. Será mais fácil abrir canais de futuro para o museu e os turistas poderão chegar aqui com um bilhete só. Tudo será feito em 16 línguas, para que possam compreender a cidade com rigor”, explicou Mário Ferreira.
    O B Dragon é um produto que inclui o Estádio do Dragão em diferentes roteiros turísticos a locais emblemáticos do Porto, realizados pela BlueBus, marca de “sightseeing tours” do Grupo DouroAzul. Apresenta três opções distintas (B Stadium, B Champion e B Goal), que incluem as opções de “tour” pela cidade em autocarros turísticos e cruzeiros das pontes.
    O preço dos produtos varia entre os 16 e os 23 euros, podendo os mesmos ser adquiridos na FC Porto Store do Dragão, nos pontos de venda da DouroAzul (Centro de Acolhimento a Turistas, quiosque Cais de Gaia e autocarros BlueBus) e em revendedores autorizados.»

    Ficamos a desejar que, tal como o nome da empresa se identifica com o Clube, haja mesmo ligação clubista, ou seja, que os sócios do F. C. Porto tenham algumas vantagens nesta parceria, também. Porque lá virá um dia próximo em que eu possa ir mostrar o Dragão ao meu neto e então tenha motivos a aproveitar para levar familiares e amigos a fazer uma viagem de reconhecimento pela cidade Invicta, rio Douro, vinho do Porto e o nosso estádio e museu do F. C. do Porto...

    Sobre o museu do Dragão, desta vez acredito mais, visto haver já uma empresa a trabalhar afincadamente para isso, segundo sei, felizmente. O que ainda não se sabe é se será dessa vez a publicação do tal livro sobre as histórias dos Presidentes do F. C. Porto, que chegou a estar prometida, anos atrás, igualmente. Mas com Pinto da Costa tudo será sempre possível!

    ResponderEliminar
  5. Um momento grato da vida e história do FC Porto, um aniversário sempre a celebrar.
    Abraço.

    ResponderEliminar