Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Fernando Saúl: A Voz do Estádio do Dragão


Há pessoas que personificam uma instituição, uma coletividade, uma afetividade, uma época, acontecimentos marcantes. Falar em Jorge Nuno Pinto da Costa é associar imediatamente ao F C Porto; lembrar Pedroto é transportar aos anos do arranque da reconquista da primazia do futebol por parte das equipas do F C Porto; falar em Madjer, no “Bi-bota” Gomes e Cª é relembrar os anos oitentas da conquista da Europa e do Mundo; relembrar Hernâni, Virgílio e outros é ter conhecimento do que conseguiu a geração dourada dos anos cinquentas; nomear Pinga e Araújo é lembrar que sempre o F C Porto teve grandes valores e Pinga foi um expoente, a pontos do antigo galardão (antecedente dos Dragões de Ouro) do clube, ter tido seu nome;  recordar Américo, Pavão, Custódio Pinto, Armando e outros que tais é evocar anos do amor à camisola, do valor que era conseguido demonstrar perante o centralismo da capital e da heroicidade de lutar contra o poder lisboeta; falar em Cristiano é entrar dentro do tempo em que o hóquei em patins ganhou relevo no F C Porto e com Alexandre Magalhães, Leite, Ricardo, Castro, Brito, Fernandes, Júlio, Barbot, Jorge, etc. a paixão pelo F C Porto corria em patins com melhor apreço que no futebol; quase a par com o basquetebol do tempo de Dale Dover; como depois Vitor Hugo, Alves, Bruno, Franklim, Tó Neves, Reinaldo e Cª mantiveram o equilíbrio sobre patins mais modernos; tal qual o nome de Mário Silva, Joaquim Leão e mais nos levam pelas estradas onde as camisolas do F C Porto ganhavam corridas a eito… uns Gilberto Duarte, Hugo Laurentino, Moreira, etc, atiram para novo ciclo de campeões de andebol, como que a fazer reavivar tempos de Fabião, Campos, e tantos mais, até ao Leandro, Resende, Eduardo Filipe e outros artistas com a bola pegajosa... e a Juliana Rocha, apesar de não sermos dados a lutas físicas, até nos faz simpatizar com o pugilismo azul e branco... Assim como no futebol mais presente Baía, Jorge Costa e outros nos remetem logo para as taças europeias de 2003 e 2004; Derlei nos faz estremecer até Sevilha e, entre mais, felizmente, o nome de Kelvin nos faz saltar o peito ao minuto 92, do golo que fez ajoelhar o Jesus da águia de rapina e pôs o Dragão em delírio e pelo mundo fora todo um povo felicíssimo… Enquanto o nome de Fernando Saúl nos põe a ver e sentir o estádio do Dragão em voz coletiva e ebulição, a puxar pela equipa do F C Porto.  

- "Vamos lá, vem aí a nossa equipa, a equipa do FUTEBOL CLUBE DO PORTOOOOOOOOO"… «A expressão mais arrepiante que antecede o melhor hino do futebol mundial. Uma eterna e única Paixão. Fernando Saul, melhor Speaker do Mundo, no Melhor Estádio do Mundo! PORTO, PORTOOOOO…!


Conhecemos Fernando Saúl apenas de o ouvir pelo som do nosso estádio, antes no estádio das Antas e presentemente no Dragão. Mais recentemente através de contactos virtuais do Facebook, onde ele pugna também e bem pelo Portismo que deve existir em todos nós. Mas há muito admiramos a sua postura e quanto encarna, por quanto consegue transmitir através da instalação sonora do nosso estádio, pela vida que a sua voz empresta ao colorido ambiente do recinto de jogo. Antes até só lhe conhecíamos a voz, ouvindo-o bem e vendo-o à distância, desde as bancadas para a proximidade do relvado, e só muito mais tarde começamos a identificar a cara, passando a conhecê-lo por imagens, via blogosfera portista e rede social do Facebook, mas mais parece que o conhecemos bem, tal a familiaridade que transborda. Ele corporiza o entusiasmo que vai no nervosismo ansioso das pessoas afetas ao F C Porto, com o microfone em punho e a puxar pelas claques e público em geral.

Vimo-lo esta quinta-feira na reportagem transmitida pelo Porto Canal, no programa Cadeira de Sonho, e, como muitos também disseram, aquela transmissão fez mexer com os sentimentos. Aqui o autor destas linhas, por causa de problemas cardíacos, tem de ter cuidado… mas aquilo fez arrepiar, até parecia que estávamos no estádio, em pulgas para vibrar com a nossa equipa…

Como de outras oportunidades em que neste espaço procuramos homenagear personagens dignos de apreço na Vida do F C Porto, desta vez damos lugar ao que é Fernando Saúl dentro e fora do F C Porto: a Voz do Estádio do Dragão!

((( CLICAR na seta, para aceder ao filme de vídeo)))


Armando Pinto

3 comentários:

  1. Também adorei. Sem dúvida o melhor e mais apaixonado speaker do Mundo.

    ResponderEliminar
  2. Vejo no face que este post bateu todos os numeros, como será na visita ao próprio site. Parabéns. O Saúl é figura incontornável e o artigo está espetacular. Este blogue é uma referência da massa simpatisante e associativa do FC Porto.

    ResponderEliminar
  3. Gostei. Do que vi no canal da televisão do Porto e do que li neste blog . Já tinha gostado doutras vezes e desta fez-me lembrar quando falou do Cerqueira e outros. Felizmente temos sites a puxar a brasa para o Porto, porque senão não teremos nada. De vez em quando venho a este site confortar-me melhor e digo continue.

    J G do facebook

    ResponderEliminar