Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Tributo a Pedroto – lembrança duma das primeiras taças conquistadas como treinador do F C Porto


Pedroto morreu há 30 anos, mas continua vivo no espírito Portista e mantem-se permanente na recordação de quem, como adepto e sócio do F C Porto,  viveu também  os grandes momentos da quebra do longo jejum de vitórias no futebol senior.

Muito se escreveu e disse na blogosfera portista, sobre o Mestre, além do que até chegou a ter lugar na comunicação social, embora nos meios mediáticos algo aquém do que a dimensão de sua vida e obra merecem. Comparativamente com outros casos em que até uma simples atribuição de nome a uma rua em Lisboa teve parangonas… quando, por entre diversos exemplos, Pedroto tem seu nome em ruas de diversas cidades, pelo país além (como aqui referimos no anterior artigo), mas sem a mesma difusão divulgativa… Contudo, o que interessa é que ficou vincado que José Maria Pedroto continua a ser lembrado entre a família Portista, e isso é o mais importante.

Nesse âmbito, o museu do F C Porto tem por estes dias mais um espaço dedicado a Pedroto, além do que já ali havia antes. Como foi mostrado no Porto Canal. Numa daquelas exposições de material que ainda não estava à vista, do muito que se espera poder ficar junto, quando possível, um dia, para todos podermos rever e sentir, ainda mais. Sendo vista, em imagens televisivas (pois nem sempre todos poderemos passar por lá muitas vezes, ou pelo menos com frequência, obviamente), conforme agora está patente,  uma taça que foi conquistada aquando da primeira passagem de Pedroto pelo comando da equipa principal portista, a taça da conquista do Torneio Início de 1966/67. Tratando-se da Taça Valdemar Mota, assim denominada em homenagem ao futebolista primeiro olímpico do F C Porto e da Associação de Futebol do Porto, entidade organizadora.

Por conseguinte, aproveitando o facto, recordamos agora uma vitória numa edição dessa competição, no caso reportando ao ano seguinte, porque o F C Porto por norma vencia quase todos os anos o Torneio Início, à compita com os vizinhos filiados concorrentes nos campeonatos principais que começavam quase de seguida. Assim, da vitória e consequente galardão obtido nessa prova, recordamos a imagem da entrega da respetiva taça, referente ao 1º lugar do então quadrangular Torneio Início da AFP, disputado com as melhores equipas da área da associação portuense, antes do início do campeonato. Ilustrando-se esta recordação com uma imagem de arquivo pessoal, deitando mãos a uma das páginas de registo elaborado em nosso tempo de menino e moço, focando alguns dados respetivos, da final do Torneio Início de 1967/68.



Armando Pinto

((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

1 comentário:

  1. José Maria de Carvalho Pedroto ficará para sempre, quer queiram quer não, como o maior impulsionador do futebol em Portugal. Pode afirmar-se sem quaisquer constrangimentos que há uma era antes e outra depois do treinador Pedroto no que respeita ao panorama existente na organização do futebol português, quer ao nível do treino das equipas quer às estruturas administrativas. Pedroto representa para o futebol português o mesmo que o 25 de Abril para o país, em termos de mudanças estruturais e luta pela igualdade de direitos e fim do poder centralista.

    Pedroto tem vantagem em relação a quaisquer outras figuras ficticiamente alcandoradas a nacionais porque nunca se deixou explorar politicamente e preservou a sua imagem de simples chamariz de votos em eleições. A sua força de carácter era a sua imagem de marca.

    DRAGÃO, SEMPRE!

    ResponderEliminar