sábado, 1 de agosto de 2015

À Volta do Ciclismo Portista: mais algumas recordações…


O F C Porto, nos primórdios da existência de ciclismo no seio do clube e em tempos recuados da história do ciclismo em Portugal, pelos anos da década de trinta, do século XX, ainda chegou a ter equipa em tempos recuados de corridas simultaneamente comportando categorias de Fortes e Fracos - qualquer coisa como hoje seria o caso de profissionais e amadores, sensivelmente. Embora depois tivesse havido um hiato de interregno no tempo, até ao reaparecimento em força já na década de quarenta, para de seguida ter sido evidente um poderio dos corredores de bicicletas com camisolas do F C Porto, bem manifesto nas estradas pelas décadas de cinquenta e sessenta. Tal como houve boas prestações portistas pelos anos setentas e enquanto foi possível também pelos inícios dos anos oitenta, etc. e tal. 

Contudo, dos fracos não reza a história, como se costuma dizer, ficando nos anais de forma mais vincada os vitoriosos. Embora nem sempre, pois no caso do ciclismo portista, atendendo ao prestígio da maior prova ciclista nacional, a "Volta", muitos eram os valores de craveira elevada, enquanto poucos puderam ter  honra de vencedores, naturalmente.

Ora, na linha de não deixar desaparecer a memória, também, e porque o ciclismo foi uma modalidade que fez com que o F C Porto tivesse ganho muitos adeptos durante os tempos da ditadura (quando o futebol do F C Porto pouco ganhava, perante o panorama do sistema BSB, como se sabe), voltamos a bater na mesma tecla de vincar quanto representou o desporto dos pedais dentro do F C Porto.

= Artur Coelho e Joaquim Sousa Santos (pai) =

= Azevedo Maia e Ernesto Coelho =

= Manuel Jorge e Manuel Petiz =

Assim, lembramos mais alguns heróis das estradas em tempos idos, dos que muito honraram a camisola das duas listas azuis do F C Porto sobre as bicicletas. Através de algumas imagens: Em cima, diversas fotos individuais; e em baixo, gravuras coevas recortadas da imprensa, constantes de arquivo do autor. Dando agora vez à evocação de alguns ciclistas azuis e brancos do passado, entre os que não venceram a Volta a Portugal (prova que mais faz com que os nomes sejam lembrados), mas muito contribuíram no trabalho de equipa para a vitória de colegas de clube. Bastando os nomes e umas legendas para espicaçar memórias e rebobinar histórias… da história do ciclismo do F C Porto.


Armando Pinto

((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Mais um comentário entrada no facebook:

    AJ Styliano -
    Mário Silva, Sousa Cardoso, Joaquim Leão, Carlos Carvalho e muitos outros eram heróis que sempre utilizei nas sameiras (caricas) com o seu nome e as cores azul e branco, naquela corridas nas bermas dos passeios que traziam a magia do ciclismo à nossa mão. Grande fotografia. Convém recordar que as Voltas a Portugal começavam com uma prova de pista por equipas no estádio.

    ResponderEliminar