Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

sábado, 29 de agosto de 2015

Factos e Argumentos… do panorama sócio-desportivo


Contra factos não há argumentos (especialmente falsos, obviamente), como diz o ditote popular. Ora, apesar de haver quem tente enganar a opinião pública, quanto à massificação das simpatias clubistas entre portugueses genuínos, mesmo sabendo-se que a comunicação social se farta de fazer lavagens cerebrais aos que vão nas ondas genéricas, o certo é que o F C Porto consegue superar todas essas atoardas e se matém na crista da onda viva.  A pontos que, além de ser o clube português com maior número de adeptos no facebook, agora se revela em todo o esplendor da globalidade das redes sociais.

Assim, eis a atualidade:

«Aproveitando o facto de ter superado a barreira dos 500 mil seguidores no Twitter, o FC Porto volta a reafirmar, através da newsletter Dragões Diário, o estatuto de clube português mais seguido nas redes sociais, deixando pelo meio uma bicada ao rival Benfica.

"O Twitter do FC Porto atingiu os 500 mil seguidores, o maior número de um clube nacional, à imagem do que acontece no Facebook e no Instagram, onde também lideramos. Ainda não somos seis milhões, mas nestas três redes sociais totalizamos 3,971 milhões, o que faz do FC Porto, de longe, o maior e mais relevante clube português quando se fala de social media", pode ler-se na publicação.»

Dixit.


Armando Pinto

Sem comentários:

Publicar um comentário