Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Heróis da Estrada – a propósito da Volta a Portugal de 1981…


Já não é novidade que aqui neste espaço de Memória Portista há sempre também espaço para as modalidades que mais despertam atenção ao autor deste blogue. Entre as quais se conta o ciclismo, modalidade que a par do futebol foi dos primeiros amores desportivos e talvez a de maior impacto no Portismo arreigado ao tempo da escolha de preferência clubista, quando o futebol portista nos idos princípios dos anos sessentas pouco ou quase nada ganhava e o ciclismo passava quase à beirinha de casa, bem como especialmente ganhava muita coisa. Daí a satisfação que deu o retorno do ciclismo ao seio do FC Porto, ao voltar à estrada em 2016 a visão de ciclistas a representarem o FC Porto. E, embora sem ligações pessoais diretas, não tendo dentro da secção de ciclismo azul e branco alguém de relacionamento pessoal, obviamente conhecendo tudo e todos apenas como atento aficionado, aqui para nós o ciclismo tem sido o que se pode ver e ler ao longo dos artigos aqui publicados.

Serve este introito para justificar a publicação de mais um artigo dedicado à memória do ciclismo portista, nomeadamente em tempo de defeso das corridas de bicicletas e extensivamente ainda sem haver conhecimento público de como correrá a próxima época, no âmbito do FC Porto, que é o que nos interessa.

Assim sendo, desta feita puxamos o tema do ciclismo para colocar algo devido. Porque se nota haver casos de publicações oficiais e oficiosas em que por vezes os erros acumulados geram confusão. Derivado de num livro sobre a Volta a Portugal terem sido referidos dados pecadores em imprecisões, de cuja publicação a Federação e outras entidades copiaram e seguem erradamente tais incorreções para seus dados públicos. Sendo demasiadamente conhecido o facto do erro habitualmente apresentado no número de vitórias coletivas do FC Porto, nas classificações finais por equipas na Volta a Portugal em bicicleta. Mas há mais. Por isso, para não estar a publicar mais extensas documentações, e porque não há como ilustrar de modo atraente, desta vez traz-se para aqui a publicação dumas pranchas desenhadas, a narrar em banda desenhada a Volta a Portugal de 1981, ganha individualmente por Manuel Zeferino do FC Porto, tendo o clube então das Antas ganho também coletivamente, tal qual o Prémio da Montanha teve como vencedor José Amaro, ao tempo com a camisola do FC Porto e que «à chegada à Guarda já era, sem problemas, o rei da montanha"», enquanto o FC Porto inclusive venceu tudo - «o que já não sucedia há 30 anos».

Eis aqui então a História da Volta de 1981 em ilustração desenhada do álbum “OS HERÓIS DA ESTRADA, edição conjunta do JORNAL DE NOTÍCIAS e do jornal O JOGO, publicada em recortes no ano de 1986.


 Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Sem comentários:

Publicar um comentário