Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Vítor Baía – no seu 50.º Aniversário: Lembrança de Parabéns!


Vítor Baía comemora esta terça-feira, dia 15 de outubro de 2019, seus 50 anos. Sendo assim este dia do 50º aniversário natalício do eterno Vitor Baía, associamo-nos neste espaço de Memória Portista com algumas imagens relacionadas a seu brilhante percurso, que tanto honrou o sentimento da mística portista.


Baía está na memória portista como um dos mais emblemáticos guarda-redes que vestiram as camisolas do FC Porto e da seleção nacional. Curiosamente na seleção dita nacional ficou também associado ao triste episódio de não ter sido chamado a defender a baliza portuguesa no Europeu de 2004, à imagem do que no Mundial de 1966 foi feito a Américo, outro dos estrelados guarda-redes da história portista. Perdurando ainda Baía na memória pelos tempos adiante também por constar na chamada “Capsula do tempo” enterrada pela UEFA aquando do seu jubileu de ouro em 2004, com a colocação de umas luvas suas como melhor guarda-redes da Europa nesse ano.

= Equipa da final vitoriosa da Liga dos Campeões Europeus de 2004 !

Sendo como foi e é uma referência portista, está também entre as figuras caricaturadas em  miniaturas da coleção de "bonecos" da equipa do FC Porto, conforme consta da coleção do autor destas linhas... 


Ora, como ilustração de seu Currículum Vitae, recordamos aqui algo de tão grandiosa carreira através de resenhas de sua biografia e currículo desportivo.

Primeiro através do que lhe foi dedicado no nº 1 dos livros da Coleção “ Onze + “ (sobre os considerados melhores nas respetivas posições, numa edição d’ O Jogo e da editora Quidnovi em 2008), no caso os onze mais dos guarda-redes que passaram pelo futebol português, em cujo lote de onze foram colocados do FC Porto, por ordem cronológica, Barrigana, Américo e Baía.



Seguindo-se mais uma página referente à publicação sobre uma seleção de equipa do FC Porto, em edição da Quidnovi também de 2008, na qual há uma apreciação ao Vítor Baía, a cuja página se junta imagem com o respetivo autógrafo, que foi possível conseguir para um livrinho de “Caça Autógrafos”…


Assim como, em complemento e reforço, se junta a sua parte integrante no livro “FCPorto figuras & factos 1893-2005”, edição d’ O Comércio do Porto, com indicação de Produto licenciado FCP, de 2005.


Efetivamente Baía faz parte da galeria dos melhores guarda-redes do FC Porto e do futebol português. Como foi até aflorado em tempos numa publicação da antiga revista Bola Magazine, juntando quatro desses grandes guarda-redes que vestiram a camisola de guardiões do FC Porto.

= Américo, Vitor Baía, Barrigana e Acúrcio !

Por fim, anexamos números e factos de seu palmarés, deitando mãos ao que foi publicado (na véspera deste aniversário) no jornal O Jogo. Em cujas páginas, ao longo de oito folhas, foi publicada uma grande entrevista, com Baía a passar em revista histórias e episódios marcantes de uma carreira ímpar. «Dos primeiros passos na Académica de Leça ao FC Porto foi um pequeno passo, numa carreira que teve ainda uma passagem pelo Barcelona. Voltou a casa, escolheu o 99 e continuou a vencer em Portugal e no estrangeiro. Só faltou mesmo um título pela Seleção». Que poderia muito bem ter acontecido, então para ele e sobretudo para a seleção portuguesa, se tivesse estado na baliza no Euro/2004, o tal em que a atitude de Scolari (e de quem também o aconselhou a isso, dentro da Federação…) fez Portugal perder com tão incompreensível caso de Vitor Baía não ter selecionado...


Dessa publicação, eis os números e dados que com a devida vénia para aqui recortamos:


Parabéns por tudo isto e também pelo aniversário. E muitos anos de vida!

Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens )))

Sem comentários:

Enviar um comentário