Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

sábado, 1 de junho de 2019

Jacques: Inesquecível Bola de Prata do FC Porto


Jacques Pereira, o pequeno-grande avançado que foi um dos goleadores portistas que alcançaram marca de melhores goleadores do Campeonato Nacional de futebol, foi e é o mais recente entrevistado de Gente do FC Porto no Porto Canal, numa das conversas televisivas com que Rui Cerqueira brinda regularmente o universo de afeição portista.


Com efeito, o programa Universo Porto Entrevista da noite do primeiro sábado de junho levou-nos até à praia algarvia de Vila Real de Santo António, onde decorreu a entrevista com Jacques, antigo avançado do FC Porto.


Nem sempre se pode dar relevo aqui neste espaço de memorização portista a todas as entrevistas que vão para o ar da emissão televisiva do Porto Canal, tantas e tão boas têm sido tais ocasiões de se recordar e ficar a conhecer melhor grandes valores do FC Porto. Nalgumas ocasiões por já ter havido artigos alusivos à sua evocação, mas também extensivamente algumas até serem referidas aqui em menções intercaladas com outros assuntos, quando um tema puxa outro. Enquanto outras são mesmo memorizadas individualmente, pela pertinência de assim também se desenvolver sua ligação ao mundo azul e branco.


É o caso de agora, com Jacques: um exemplo de futebolista que passou pelo FC Porto em parte da primeira metade da década de oitenta, que com esta entrevista podemos rever, passando a conhecer sua fisionomia atual.


Qualquer adepto do FC Porto ainda tinha nos olhos o Jaques jovenzinho com a camisola do FC Porto, irrequieto e sempre acutilante no ataque portista às redes adversárias, um goleador que ficou na memória, além de ter conquistado a Bola de Prata de melhor goleador do campeonato português.


Tendo vindo reforçar o FC Porto no cenário da linha avançada portista ter apenas Michael Walsh na dianteira, depois que o histórico Fernando Gomes saíra para Espanha e Oliveira rumara como treinador-jogador ao Penafiel (e de seguida ao Sporting), após o verão quente da presidência do Dr. Américo Sá (devido ao afastamento de Pinto da Costa e Pedroto do futebol azul e branco), passando a formar a formar dupla com Waslsh, qual segundo avançado, Jaques ficou ligado à conquista da 1ª Supertaça ganha pelo FC Porto, diante do Benfica, como goleador que à sua conta marcou golos mais que suficientes para a reviravolta da situação. Visto a prova ser então disputada a duas mãos e na segunda o Porto ter revertido anterior resultado de 0-2 com um 4-1 épico, com que Jaques contribuiu decisivamente na autoria de três golos. Até que depois ainda encontrou Gomes, no regresso ao Porto do goleador Bota d’ Ouro, com a chegada de Pinto da Costa à presidência e retorno de Pedroto ao comando do futebol do clube dragão.


Agora, com a visão e audição da entrevista, como sempre conduzida à boa maneira por Rui Cerqueira, ficamos a ver como Jacques está nos dias que correm, ligado ao ramo da restauração e hotelaria no Algarve. 


Província mais ao sul do país, onde o FC Porto tem ido buscar jogadores que “caíram no goto” dos portistas e ficaram nas lembranças perenes dos aficionados de tudo o que respeita ao FC Porto. Desde o pequenino Atraca, que era defesa do FC Porto nos anos sessentas e apesar da sua baixa estatura tinha uma grande elevação, como ficaram famosas as suas investidas a saltar junto com o gigante Torres do Benfica…  que costumava suplantar. Ficando João Atraca para a história como um dos esteios da defesa que levaram à conquista da Taça de Portugal de 1968. Até ao Jacques, também de estatura baixa, para os padrões do futebol competitivo de alto nível, mas que chegava e sobrava para desbaratar as defesas contrárias.


Com mais este trabalho do departamento de conteúdos desportivos do FC Porto, o Porto Canal presta mais um memorando serviço público, fazendo eco das memórias de que andam nossas almas cheias, à medida da gloriosa História do FC Porto.


Com toda essa força de vida que mantém o passado ligado ao presente do FC Porto, o tema dá a preceito para evocar o goleador Jaques. Como apraz registar também com algumas páginas antigas, do que lhe foi dedicado na coleção Ídolos em 1982. Através de cuja descrição ficam explicadas mais algumas das suas curiosidades curriculares.


Jacques Pereira, nascido em Marrocos, mas de nacionalidade portuguesa (como é explicado na sua história impressa em letra de forma, acima) e residente no Algarve, foi futebolista que nos anos oitentas assentou arraiais no norte do país, havendo jogado no Famalicão e no Braga, até ter tido ponto alto de carreira na linha avançada da equipa principal do FC Porto entre 1981 a 1985. Melhor marcador do Campeonato da 1ª Divisão Nacional na época de 1981/82, conquistando o troféu Bola de Prata, foi pelo FC Porto vencedor da Supertaça Cândido de Oliveira em 1981/1982 e 1983/1984, tendo também sido Campeão Nacional na equipa que venceu o Campeonato Nacional de 1984/85.


Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Sem comentários:

Enviar um comentário