Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

terça-feira, 25 de junho de 2019

Revista Dragões, Nº 391 - Junho / 2019


Em tempo atual de aniversário do Dia Um de Portugal, remetendo à memória do 24 de junho de 1128, quando agora em 2019 a nação portuguesa perfaz 891 anos de raízes autónomas, também a revista Dragões, atual órgão oficial de comunicação do FC Porto, sai a público em sua edição nº 391, correspondente a Junho de 2019. Havendo assim de comum os dígitos 91, de aproximação – em números com algumas semelhanças aos anos da Nação.

Com efeito o 24 de junho é dia de São João para o comum interesse público. Mas não só. Na ocasião festiva de muitas terras portuguesas festejarem o santo que batizou Cristo, e que na tradição popular ficou associado a brincadeiras e às atenções das raparigas solteiras, mais outras curiosidades da ficção memoranda. Cuja festividade atinge ponto mais alto na noite sanjoanina da cidade do Porto, de cariz popular espontâneo e semblante mágico. Enquanto na tradição histórica o mesmo dia 24 é também o dia 1º de Portugal, sobre a data atribuída à batalha de São Mamede, de que resultou a independência do reino de Portugal.

Passa assim agora, em 2019, a conta de 891 anos de existência de Portugal como instituição governamental própria, embora ainda do tempo das coordenadas e linhas de limites territoriais do antigo Condado Portucalense. Só mais tarde, como se sabe também, foram conquistadas as terras que eram ocupadas por mouros e tudo o mais.

Então, na batalha de São Mamede defrontam-se um exército do conde galego Fernão Peres de Trava, partidário e chefe do governo provisório de D. Teresa, contra um grupo armado dos barões portucalenses. Estes últimos ao vencerem passaram o governo do condado portucalense ao príncipe herdeiro D. Afonso. Tal intervenção dos barões portucalenses, liderada pelos senhores de Sousa e de Ribadouro, teve papel importante na vitória que deu a Afonso Henriques autoridade compatível, ao tempo.

Ora, na passagem dos 891 anos portucalenses e à entrada para a soma da década em que a independência parcial do país irá perfazer 900 anos, cá se vai cantado e rindo em tempo de São João, até para esquecer o mal que tem sido feito ao país, quer monetariamente como na própria identidade pátria e descrença geral. Enquanto no país o poder e sua justiça deixa à solta  corruptos e toupeiras de acesso a segredos oficiais, pessoas que continuam a andar impunes, mas condenam quem tenta desmascarar a podridão que reina no Portugal do sistema emanado de Lisboa. 

Logo no início da revista, ao abrir a Dragões, depara-se atenção no tradicional introito de Jorge Nuno Pinto da Costa. Onde, desta feita, o Presidente-Dragão destaca as marcas atingidas durante a época, mais uma nesga de apreciação ao que se tem passado.


Em vista disso, e como legenda emblemática, sabendo-se como em muitas terras há um Cruzeiro-Padrão da Independência, e sendo também a revista Dragões um padrão da independência do sistema português centralizador, vem a propósito, na pertinência correspondente à semelhança do número da revista oficial do FC Porto, legendarmos uma missiva final de moral da história:

- Como na época atual o país passa por infeliz fase de corrupção e compadrio, a que quem de direito tem feito vista grossa... mais parecendo a condizer com o tempo meteorológico incerto (tanto fazendo cara de inverno como de primavera, apesar de chegado o verão…), valha ao menos haver a revista Dragões! Para se fazer ver que há algo muito mais que por norma vem ao conhecimento público normal… na comunicação social. Quão atesta o número atual da revista, focando “Pontos Altos de 2018/19" !!!

Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Sem comentários:

Publicar um comentário