Reconstituição Histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Reconstituição histórico-documental da Vida do FC Porto em parcelas memoráveis

Criar é fazer existir, dar vida. Recriar é reconstituir. Como a criação e existência deste blogue tende a que tenha vida perene tudo o que eleva a alma portista. E ao recriar-se memórias procuramos fazer algo para que se não esqueça a história, procurando que seja reavivado o facto de terem existido valores memorávais dignos de registo; tal como se cumpra a finalidade de obtenção glorificadora, que levou a haver pessoas vencedoras, campeões conquistadores de justas vitórias, quais acontecimentos merecedores de evocação histórica.

A. P.

terça-feira, 11 de junho de 2019

Ricardo Mestre e coletivo W52 FC Porto: Grandes vencedores do Grande Prémio JN /2019


Em dia de Portugal, o 10 Junho de 2019 foi dia da Nação Portista no ciclismo, também, perante a grandiosa vitória do ciclista azul e branco Ricardo Mestre, resistindo a forte luta dos adversários mais próximos.


Com efeito, o ciclista da W52-FC Porto segurou a camisola amarela após a 6.ª e última etapa da prova, vencendo assim esta competição importante de etapas do ciclismo português. A segunda prova mais longa do calendário nacional, que assim já faz parte da história, terminada diante de grande moldura em Gondomar.


Ricardo Mestre foi o grande vencedor da 29.ª edição do Grande Prémio Jornal de Notícias, cuja 6.ª e última etapa se realizou no feriado nacional do Dia de Camões e da Raça portuguesa, segunda-feira 10 de Junho, entre o Porto e Gondomar, perfazendo 187,2 quilómetros finais. Joni Brandão da Efapel e a equipa do Sporting tudo tentaram, à vez e em conjunto, para procurarem destronar o camisola amarela, mas Mestre teve a equipa do FC Porto com muita garra e plena de força. Enquanto isso, Brandão teve assim de contentar-se com o 2º lugar da Geral, mesmo vencendo a derradeira tirada da prova, mas como o ciclista da W52-FC Porto terminou na quarta posição da etapa de encerramento, as diferenças deram para segurar a camisola amarela, com 36 segundos de vantagem sobre o segundo classificado.


De modo convincente Ricardo Mestre (W52/FC Porto) sagrou-se vencedor da 29.ª edição do Grande Prémio JN/Leilosoc. E com a vitória de Mestre, a W52-F. C. Porto soma quatro vitórias consecutivas no Grande Prémio do Jornal de Notícias, desde que o FC Porto regressou ao ciclismo, em 2016. Pois antes do abandono e seguinte longo interregno (desde 1983 a 2015), o FC Poto havia vencido por duas vezes (em 1980 por Venceslau Fernandes e em 1982 através de Manuel Zeferino).


O corredor algarvio, Ricardo Mestre, que sucede ao companheiro de equipa António Carvalho, vencedor em 2018 (e aos anteriores vencedores do FC Porto, Rafael Reis em 2016 e Raúl Alarcón em 2017) terminou a corrida com a vantagem de 36 segundos para Joni Brandão, com Alejandro Marque (Sporting/Tavira) a fechar o pódio, com mais 59 do que Mestre.

“Foi uma vitória muito difícil, porque o Joni Brandão mostrou estar muito forte. Eu tenho a felicidade de estar na melhor equipa. Eu e os meus companheiros conseguimos controlar a corrida. Todas as etapas tiveram momentos importantes, mas a etapa de duplo setor foi a mais decisiva”, afirmou Ricardo Mestre após a chegada a Gondomar, onde a equipa portista fez a festa.


O FC Porto, em termos gerais, dominou toda a prova ao longo dos sete dias, inicialmente com Rafael Reis de camisola amarela vestida e depois Ricardo Mestre. Sempre na dianteira e sem deixar os adversários fazerem o que queriam.


Na classificação Geral individual do 29.º Grande Prémio Jornal de Notícias, estas foram as posições finais dos Dragões: Ricardo Mestre (1.º), Edgar Pinto (4.º), António Carvalho (5.º) e Daniel Mestre (25.º). Além da vitória individual, a W52-FC Porto também triunfou em termos coletivos, terminando na primeira posição com 3m27s de vantagem sobre a Efapel.


Em apoteose, o final do Grande Prêmio de Ciclismo foi festejado pela equipa W52 FC Porto. No cenário de tão grande vitória, em que os ciclistas dragões conquistaram com mérito o prêmio de melhor equipa e conquistaram a camisola amarela, bem colada ao corpo de Ricardo Mestre.


~~~ *** ~~~

Enquanto isto, a equipa W52 FC Porto esteve repartida por esta grande prova portuguesa e pela Volta ao Luxemburgo no estrangeiro. Corrida luxemburguesa que coincidiu com a portuguesa e na qual Joaquim Silva foi o portista melhor classificado, em 10º lugar da Geral final, colocado assim no Top 10.

Armando Pinto
((( Clicar sobre as imagens, para ampliar )))

Sem comentários:

Publicar um comentário